Prêmio Empreendedor Social celebra 15 anos no Brasil com sete finalistas em 2019

Premiação anuncia candidatos, que serão avaliados por júri e voto popular a partir desta terça-feira (1°)

São Paulo

Sete finalistas disputam os troféus de líderes em inovação e impacto em três categorias do Prêmio Empreendedor Social 2019, quando são celebrados os 15 anos da premiação no país.

Na categoria principal, Alcione Albanesi (Amigos do Bem), 57, Guilherme Brammer Junior (Boomera), 42, e Thomaz Srougi (dr.consulta), 43, estão concorrendo ao título de Empreendedor Social do Ano de 2019.

Já na categoria Empreendedor Social de Futuro disputam Diogo Tolezano (Pluvi.On), 35, e Gustavo Glasser (Carambola), 35. Enquanto no Troféu Grão, dedicado a causas, são finalistas Adriana Barbosa (Preta Hub), 42, e Laís Higashi (Litro de Luz), 27.

“São sete empreendedores sociais que representam um ecossistema vibrante e comprometido em realizar transformações profundas nas áreas de educação, saúde, ambiente e também no empoderamento de populações vulneráveis e excluídas”, afirma Sérgio Dávila, diretor de Redação da Folha.

Entre as inovações estão plataformas para desenvolver o potencial de empreendedores negros, metodologia para reciclagem que envolve academia, indústria e catadores, e uso de tecnologia para levar eficiência e baixar custos no atendimento de saúde.

As sete iniciativas concorrem ainda na Escolha do Leitor, categoria na qual o público elege sua favorita em enquete no site da Folha. Os concorrentes contam suas histórias de impacto social em vídeos de um minuto para conquistar o voto dos internautas.

A Escolha do Leitor está com votações abertas; conheça os finalistas e participe

Pelo quarto ano consecutivo, a enquete tem patrocínio exclusivo da Fundação Banco do Brasil. “A categoria Escolha do Leitor, de voto popular, é uma ferramenta democrática que traduz a opinião das pessoas e sinaliza as soluções mais inovadoras para ajudar a resolver problemas sociais”, afirma Asclepius Soares, presidente da Fundação Banco do Brasil.

O público tem até as 18h do dia 1º de novembro para votar. Um júri de especialistas escolherá os vencedores entre três finalistas na categoria principal, dois na de Futuro e duas concorrentes ao Grão.

Os premiados serão anunciados em cerimônia no Teatro Porto Seguro, em 4 de novembro, em São Paulo. Todos eles terão seus perfis publicados em caderno especial e site, na edição de 5 de novembro.

A Folha realiza a premiação desde 2005 em parceria com a Fundação Schwab, uma das comunidades do Fórum Econômico Mundial. A premiação internacional passou a contar com três novas categorias.

O Empreendedor Social do Ano no Brasil, selecionado pela Folha, é avaliado pelo conselho da Fundação Schwab para integrar a comunidade, que a partir deste ano agrega representantes corporativos, do setor público e pensadores.

“Reconhecemos os campeões da inovação no setor social, mas também nos negócios, no governo e na academia”, afirmou Hilde Schwab, cofundadora e presidente da fundação, ao anunciar os 40 agraciados neste ano em todo o mundo.

Três deles brasileiros: Rodrigo Pipponzi e Roberta Faria, fundadores da Editora Mol e vencedores do Empreendedor Social 2018, além do filósofo Roberto Mangabeira Unger, selecionado entre Líderes de Conhecimento no concurso mundial.

Nesta 15ª edição no Brasil, o Prêmio Empreendedor Social tem patrocínio de Coca-Cola, Cervejaria Ambev, IEL, uma iniciativa da CNI (Confederação Nacional da Indústria), e Fundação Banco do Brasil. Conta com apoio do Instituto Porto Seguro. British Council, Faap, Fundação Dom Cabral, Insper e UOL são parceiros estratégicos.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.