Ação da Bauducco destina dinheiro de vendas a programa de acolhimento infantil

Instituto Fazendo História e Casa Bauducco se unem no Dia de Doar para formar novas famílias acolhedoras

São Paulo

Há quase 20 anos, o Instituto Fazendo História transforma vidas dentro e fora de abrigos por meio do programa Famílias Acolhedoras, que faz parte de uma política pública que garante o direito à convivência familiar e comunitária de crianças e adolescentes separados de suas famílias.

Tocada pelo projeto, a Casa Bauducco decidiu fazer parceria com o Instituto para o Dia de Doar. Na terça-feira (3), todo o valor da venda de fatias de chocottone e panettone, produtos oficiais da Bauducco, será revertido para o Famílias Acolhedoras. 

O projeto Famílias Acolhedoras colabora com o desenvolvimento de crianças e adolescentes que estão em instituições de acolhimento - Renato Stockler

De acordo com o Fazendo História, cerca de 40.000 crianças e adolescentes vivem em serviço de acolhimento no Brasil. É olhando para essa realidade que a organização —que está entre as cem melhores ONGs do país e integra a Rede Folha de Empreendedores Socioambientais— coloca em prática o projeto que prepara famílias voluntárias para receber essas crianças.

As famílias passam por uma seleção e acompanhamento do Instituto para que estejam aptas a receber em suas casas crianças de até 6 anos que precisam de acolhimento temporário.

Elas ajudam os acolhidos em seu desenvolvimento até chegar o momento de retornarem para suas famílias de origem ou adotivas.

movimento bem maior

O Movimento Bem Maior é uma organização que promove a colaboração no Brasil. Por meio de uma curadoria especial, identifica, apoia e dá visibilidade a causas sociais e instituições. 

Para o Dia de Doar 2019, o MBM articulou parceria com empresas e influenciadores para a divulgação do propósito da data. Além disso, criou um hotsite específico para a campanha, o qual, entre outras ferramentas, ajuda o indivíduo interessado a encontrar um projeto para fazer uma doação.

O Dia de Doar é um movimento descentralizado, que não pede doações para si e nem indica organizações para que as pessoas doem. Ele apenas articula para que nessa data —que neste ano será em 3 de dezembro— o mundo inteiro esteja falando e discutindo o assunto, cada um a sua maneira.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.