Plataforma da ONU quer comprometimento de negócios com promoção de acesso à água e saneamento no Brasil

País precisa de R$ 21,6 bilhões por ano para garantir acesso universal à água e saneamento

São Paulo

A situação brasileira de acesso à água potável e saneamento básico é complexa. Apenas 46% dos esgotos do país são tratados, e 35 milhões de pessoas não têm acesso a água tratada.

Para resolver o problema, seriam necessários investimentos de quase R$ 21,6 bilhões por ano até 2033, mas o orçamento público limita-se a R$ 661 milhões . Com o objetivo de promover maior engajamento das empresas com soluções para este tema, a Rede Brasil do Pacto Global promove ação com a plataforma CEO Water Mandate em São Paulo no mês de dezembro.

Pela primeira vez, a plataforma especializada na gestão corporativa da água realiza edição brasileira de seu evento anual, tradicionalmente sediado durante a Semana da Água de Estocolmo.

Na quarta-feira (11), no Unibes Cultural (SP), especialistas discutirão soluções para a promoção do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6  – Acesso a Água potável e Saneamento.

Entre os confirmados estão o presidente do CEO Water Mandate, Jason Morrison, o especialista em soluções baseadas na natureza da Fundação Boticário, Thiago Piazzetta Valente, e a criadora da plataforma A Moda pela Água, Chiara Gadaleta.

Na ocasião, a Rede Brasil do Pacto Global lança a versão em português do guia prático desenvolvido para ajudar as empresas a entender o valor comercial de suas iniciativas em água, saneamento e higiene (WASH) e a calcular seu retorno financeiro sobre o investimento (ROI).

Também serão premiadas as melhores iniciativas empresariais brasileiras relacionadas ao uso da água, que farão parte da publicação “Cases de sucesso em ODS 6 (Água e saneamento)”.

“Em busca da ambição do ODS6 de obter acesso universal à Água, Saneamento e Higiene (WASH), estamos pedindo a todas as empresas que estabeleçam políticas e programas de WASH no local de trabalho, nas suas cadeias de suprimentos e nas comunidades onde os trabalhadores vivem, que garantam acesso à água potável e saneamento à maioria da população adulta, que trabalha fora de casa”, afirma Jason Morrison, presidente do CEO Water Mandate e do Pacific Institute, que participa do evento em dezembro. 

A Organização Mundial da Saúde estima que a cada dólar investido em saneamento, US$ 5 retornam à sociedade, principalmente em forma de economia nos gastos com tratamento de doenças.

Portanto, além dos benefícios éticos e sociais, os negócios podem aproveitar as oportunidades econômicas geradas pelo investimento em saneamento básico e água potável. A situação urgente cria oportunidades para as empresas que desejam atuar neste setor.

Os investimentos em água e saneamento têm potencial de gerar um total de 68,3 mil postos anuais de trabalho.

O evento anual do CEO Water Mandate é promovido no Brasil pela Rede Brasil do Pacto Global com a ISAE Escola de Negócios, e viabilizado pela BRK Ambiental e Instituto Coca-Cola, com o patrocínio do CREA Goiás e apoio da UNIBES Cultural e da plataforma A Moda pela Água.

A iniciativa ocorre na quarta-feira (11), às 9h, no Unibes Cultural. Interessados podem se inscrever gratuitamente pelo site.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.