Descrição de chapéu Coronavírus Dias Melhores

Bancos anunciam R$ 100 milhões em doações para a campanha contra o coronavírus

Banco BV vai financiar linhas de crédito, Safra disponibilizou recursos para hospitais e BTG Pactual dá escala a iniciativas

São Paulo

Mais duas doações de peso engordaram o saldo das campanhas para fazer frente ao coronavírus e seus impactos no Brasil.

Nesta quarta-feira (1 de abril), o Banco BV anunciou a doação de R$ 30 milhões, aliada a uma campanha de mobilização social e linha de crédito para empresas no combate à Covid-19.

Homem com traje especial usa mangueira na frente de hospital;ao fundo o letreiro "Emergência"
Integrante das Forças Armadas desinfecta entrada de hospital em Brasília - Ueslei Marcelino/REUTERS

Na terça-feira (31), o Banco Safra disponibilizou R$ 20 milhões para hospitais públicos e Santas Casas.
Para garantir que os recursos sejam aplicados de forma rápida e transparente, o BV vai contar com o apoio do Instituto Votorantim e da Fundação do Banco do Brasil.

Os valores beneficiarão todas regiões do Brasil, com foco nas localidades mais impactadas pelo novo coronavírus. Além de hospitais, famílias vítimas da doença e em estado de vulnerabilidade social serão assistidas.

Para Gabriel Ferreira, diretor-geral do Banco BV, essa parceria garante credibilidade ao projeto, levando em conta que muitas pessoas querem ajudar mas não sabem como ou não têm confiança na instituição que busca doações.

“Com a experiência e capilaridade do Instituto Votorantim e da Fundação Banco do Brasil, o BV pode atuar como viabilizador dessa grande rede de colaboração", diz Ferreira.

"Todos que queiram contribuir, pessoas físicas e empresas, poderão fazê-lo de forma rápida e segura, com a certeza de que os benefícios serão distribuídos com critério e transparência."

Além da doação inicial, o banco BV convida seus clientes, parceiros pessoas físicas e jurídicas, para se engajar em uma campanha de arrecadação online.

As doações serão feitas pela plataforma digital "Abrace uma Causa", reconhecida pela capacidade de conectar pessoas e empresas em causas sociais de várias regiões do Brasil.

Para cada R$ 1 doado por pessoa física, o banco BV doará a mesma quantia, até o total de R$ 10 milhões.

O banco BV criou também uma linha de crédito de R$ 50 milhões para fornecedores nacionais de equipamentos e serviços hospitalares essenciais no combate à Covid-19.

O primeiro recurso, no valor de R$ 20 milhões, será direcionado para a Magnamed, uma das maiores empresas nacionais na fabricação de equipamentos para ventilação pulmonar, um dos aparelhos mais necessários em meio à pandemia.

Alinhado com Ministério da Saúde, BNDES e hospitais de referência, o BV busca outras empresas que também possam se beneficiar dessa linha de crédito.

Os recursos doados para a saúde já estão a caminho de seu destino, o que inclui a aquisição de 50 respiradores em parceria com o Governo do Estado de São Paulo.

E também auxílio de R$ 300 em vale alimentação para 1.400 famílias em estado de vulnerabilidade no Rio de Janeiro, atendidas pelo Instituto Reação, projeto já apoiado pelo banco BV.

A instituição ainda está empenhada em estender o benefício para os mais de 30 projetos sociais beneficiados pela instituição, além de comunidades integrantes do PVE, Programa de Valorização da Educação, iniciativa do Instituto Votorantim presente em mais de 1.200 escolas em 101 cidades em todo o País.

A prestação de contas será feita na própria plataforma e aberta para acompanhamento da sociedade. Para doar: https://bancobv.abraceumacausa.com.br/

O Banco Safra também vai liderar esforço junto a clientes e parceiros para ir além da doação inicial de R$ 20 milhões, com foco em auxiliar os hospitais públicos.

O grupo, que tem tradição de filantropia no segmento hospitalar, fará a doação diretamente às entidades ou por meio de seus parceiros privados na área da saúde, desde que os projetos sejam voltados para a rede hospitalar pública.

O dinheiro arrecadado será destinado a ações específicas voltadas ao tratamento e combate ao coronavírus.

Além do projeto de implementar leitos de UTI para a rede municipal de São Paulo, com gestão e operação do Hospital Albert Einstein (já em andamento), a doação do Safra contempla projeto que prevê a criação de leitos em um hospital de campanha no Grajaú, sob gestão do Hospital Sírio Libanês.

Há ainda a doação de equipamentos de proteção à Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e a participação no projeto do Hospital de Campanha Lagoa-Barra, que terá 200 leitos para atender pacientes SUS, e é conduzido pela Rede D’Or.

Nesta etapa, o Banco Safra está doando o equivalente a 60 leitos de UTI (cama, respirador, monitor e bomba de infusão), mais 1 milhão de máscaras cirúrgicas, 700 mil aventais de proteção.

Os valores arrecadados com clientes e parceiros serão redirecionados depois de análise da demanda de doações pelos hospitais.

Essa avaliação será feita por parceiros do banco na área da saúde de acordo com a urgência e maior necessidade das entidades públicas participantes.

Entre os anúncios de doações mais expressivos nos últimos dias os estão R$ 150 milhões dos braços sociais da Itaú-Unibanco. O valor será utilizado para ampliar infraestrutura hospitalar, compra de equipamentos, cestas de alimentação e kits de higiene a serem distribuídos para comunidades vulneráveis e ajudar no tratamento de infectados.

A XP Investimentos, na última semana, entrou no combate com a campanha “Juntos Transformamos”, com um depósito inicial de R$ 25 mil. A estimativa, baseada neste valor, é beneficiar 100 mil pessoas com alimentação, por um período inicial de três meses.

Nesta quarta-feira (1) O BTG Pactual e seus sócios anunciaram a doação de R$ 50 milhões para projetos de combate ao novo coronavírus. Os recursos serão destinados a quatro frentes principais ao longo das próximas semanas, com o objetivo de dar escala às iniciativas da sociedade que já existem e estão em curso.

“Identificamos excelentes iniciativas, em diferentes estágios, que podem fazer grande diferença no atual cenário. Estamos prontos para apoiá-las”, complementa o CEO Roberto Sallouti.​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.