Plataforma Covid Radar concentra dados para traçar estratégias de combate a pandemia

"Estamos no turning point do vírus no Brasil, não é o momento de relaxar", diz diretor do Pacto Global da ONU

São Paulo

Recém-lançada, na segunda-feira (20), a plataforma Covid Radar (covidradar.org.br) estreia com a missão de mapear informações sobre a pandemia do covid-19 e traçar uma estratégia para a retomada econômica brasileira.

"É a plataforma mais robusta que há no momento, em termos de representatividade e compartilhamento de informações cruciais para minimizar os efeitos da crise", diz Carlo Pereira, diretor-executivo da Rede Brasil do Pacto Global da ONU, o braço da Organização das Nações Unidas para o setor privado.

Logo roxo, com ilustração verde de vírus, e letreiro branco escritor "Covid Radar"
Plataforma Covid Radar (covidradar.org.br) vai mapear informações sobre a pandemia do covid-19 - Reprodução

O coletivo foi concebida por meio de um time grande de empresas e organizações ligadas ao Pacto Global da ONU, como Serasa Experian, SAP, Amazon, Atos, Falconi, Instituto Ethos, Universidade de São Paulo (USP), entre dez universidades e 40 pesquisadores.

"Estamos no turning point do vírus no Brasil", diz Pereira. "As pessoas estão cansadas do isolamento, as empresas perderam o fôlego financeiro, mas é justamente agora que não podemos relaxar, e sim traçar a melhor estratégia", diz ele.

Para atuar em várias esferas, o coletivo se divide em três frentes: Painel Covid Radar, Conexão Covid Radar e Saúde Covid Radar.

No Painel Covid Radar, é possível visualizar a base completa com os dados e informações sobre a pandemia, para desenvolvimento de modelos e pesquisa, índices, tendências, sobre diversos aspectos da evolução do coronavírus.

"Por exemplo, temos 60 milhões de celulares conectados a nossa base de dados. Com isso, podemos ver a movimentação do vírus e criar ações pontuais", diz Pereira.

Com esses dados, é possível detalhar o cenário do contágio por cidade e por bairro, permitindo a adoção de medidas rápidas e assertivas nas áreas atingidas.

É assim que se pode identificar, por exemplo, a tendência de um novo foco da doença em uma cidade do interior de São Paulo, analisando o fluxo das pessoas da capital para a região em questão. "Com essas informações, podemos checar o número de respiradores na cidade e preparar o sistema de saúde, antecipadamente", diz Carlo.

O Conexão Covid Radar, por sua vez, coloca em contato empresas que queiram fazer doações de equipamentos ou de matéria-prima a instituições que precisam de ajuda, por meio de um Market Place, nos moldes dos sites de compra e venda de produtos.

Ali, estão cadastradas as mais de 5 mil secretarias de saúde do Brasil, que podem solicitar desde equipamento de proteção individual (EPI) a ventiladores pulmonares.

"Faltava uma inteligência para organizar e orientar as doações de acordo com a demanda específica", diz Pereira.

Para Marcelo Pimenta, diretor do DataLab da Serasa Experian, o Coletivo Radar viabiliza uma ampla parceria entre organizações públicas e privadas, pesquisadores e voluntários, em prol de uma causa em comum.

"Em menos de três semanas, mais de 100 pessoas, entre diretores, pesquisadores e outros profissionais, já tinham se mobilizado para apoiar a iniciativa”, diz Pimenta.

"Trata-se de um grande coletivo voluntário, ou seja, sem fins lucrativos. Essa é a beleza da coisa", reforça Pereira.

Em outra das três frente da plataforma, o Saúde Covid Radar, servirá de base para aplicativos de monitoramento de saúde e mobilidade, com a coleta diária de informação, que inclui sintomas e monitoramento geolocalizado, a fim de estimar a expansão do vírus.

A população poderá contribuir diariamente com essas informações, ajudando a mapear e conter o avanço da covid-19 no país.

Carlo Pereira, do Pacto Global da ONU, adianta que o coletivo está organizando lives temáticas com grandes artistas, com doações direcionadas para três temas: alimentação, testes de covid-19 e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

"A pandemia expôs a desigualdade social no país de maneira contundente. Ainda não temos dados sobre o covid-19 versus questão étnico-racial, por exemplo. Nosso papel é dar luz à essas questões, para retomar a economia de maneira mais justa", diz Pereira.

Para saber mais ou colaborar com o Covid Radar, acesse: covidradar.org.br

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.