Curso gratuito oferece formação em serviços públicos

Cofinanciado pela União Europeia, o programa tem como tema condutor a proteção social diante da pandemia

São Paulo

No momento em que os efeitos da Covid-19 tornam os desafios da gestão pública ainda mais complexos, a Agenda Pública, organização especialista em aprimoramento de serviços públicos, em parceria com a Estratégia ODS e cofinanciamento da União Europeia, adaptou a metodologia do Open Master para que sejam construídas soluções de impacto nos municípios, mesmo que remotamente.

Nasceu, assim, o Open Master ON, que está com inscrições abertas até sábado (13). As sessões virtuais começam em 1° de julho. O grande tema condutor será a proteção social diante da crise provocada pela pandemia.

Promovido pela Agenda Pública, curso Open Master ocorre em São Paulo durante o segundo trimestre de 2020
Curso Open Master 2020, promovido pela Agenda Pública - Divulgação

“A formação de resolução de desafios reais ligados aos serviços públicos brasileiros é gratuita. É composta por um aprendizado que combina processos pedagógicos ativos e ferramentas digitais, permitindo a interação entre diversos atores de todo o país para construir conjuntamente respostas para a atual crise”, diz o cientista político Sergio Andrade, diretor-executivo da Agenda Pública e integrante da Rede Folha de Empreendedores Socioambientais.

Serão selecionadas três equipes de cinco a seis participantes que, ao longo de oito semanas, vão se dedicar a entender de forma ampla problemas concretos apresentados por gestores públicos de municípios brasileiros no contexto da crise da Covid-19.

A Agenda Pública mediará sessões virtuais semanais com os grupos, tendo duração de uma hora e meia cada. Durante os encontros serão apresentadas inspirações e casos trazidos pelos próprios participantes, além de repertórios analíticos que se relacionem com o desafio.

As sessões de acompanhamento com gestores das prefeituras que apresentaram os desafios ocorrem quinzenalmente, por telefone ou videoconferência, com duração de 30 minutos cada.

Espera-se que cada participante dedique cerca de 2 horas por semana para o desenvolvimento de atividades complementares relacionadas ao projeto. Esse tempo se refere a pesquisas, análise de experiências, entrevistas, trabalhos em grupo e produção de texto.

Ao final do ciclo, as soluções desenvolvidas, consolidadas em artigos, serão apresentadas em webinários públicos, além da disseminação dos conteúdos junto a organizações e representantes do poder público parceiros.

O produto final elaborado pelos participantes irá retratar o caminho percorrido durante todo o trajeto, com troca de informações tão valiosas quanto a solução encontrada, que poderá também ser aplicada pela Prefeitura parceira

O público esperado é de pessoas interessadas ou com experiência em gestão pública (ou áreas relacionadas) dispostas a transformar o cenário atual do cotidiano de cidadãs e cidadãos no contexto da pandemia.

“Há um interesse crescente da sociedade civil em se preparar e criar caminhos para também mudar questões que afetam a população, sem esperar apenas por decisões e escolhas de governantes”, diz Sergio Andrade.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.