Descrição de chapéu Coronavírus

Fintechs promovem ações de mais de R$ 100 milhões em resposta à Covid-19

Grupo UOL/PagSeguro doou 200 mil cestas básica e refeições, Stone contribuiu para hospital de campanha e XP beneficiou 240 mil pessoas com o Juntos Transformamos

São Paulo

Empresas de tecnologia e serviços financeiros lançaram uma série de iniciativas e se engajaram em movimentos para minimizar os impactos da Covid-19 no país.

Ao longo dos últimos dois meses, o Grupo UOL/Pag Seguro doou 100 mil cestas básicas e 100 mil refeições prontas para alimentar populações mais vulneráveis durante a pandemias.

Por meio de ONGs e entidades de referência, como a União dos Moradores de Paraisópolis, comunidade da Zona Sul de São Paulo, foram distribuídas 9.000 cestas básicas e 55 mil refeições prontas.

Tantos os alimentos quanto as quentinhas foram comprados em comércios locais, de forma a beneficiar também micro e pequenos empreendedores da região.

O grupo doou outras 46.500 cestas básicas por intermédio da Ação da Cidadania, fundada há quase 30 anos pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho.

O Uol (empresa que tem participação acionária minoritária e indireta da Folha) é o maior grupo brasileiro de conteúdo, tecnologia e serviços e meios de pagamentos digitais.

Junto com a Pag Seguro também contribuiu com 27.500 cestas para o movimento #FamíliaApoiaFamília, plataforma que conecta quem pode ajudar com ONGs que levam insumos básicos a famílias desamparadas.

Outras 17 mil cestas foram destinadas à ONG Banco de Alimentos, que atua em parceria com 40 entidades na Grande São Paulo. Fundada em 1998 por Luciana Quintão, finalista do Prêmio Empreendedor Social, realizado pela Folha em parceria com a Fundação Schwab, a iniciativa combate a fome e o desperdício de alimentos.

Além das cestas, também foram doadas 45 mil refeições prontas por meio da Gastromotiva, entidade fundada em 2006 pelo chef David Hertz, vencedor do Prêmio Empreendedor Social de Futuro em 2009.

Para apoiar seus 5,3 milhões de clientes, micro e pequenos empreendedores que enfrentam dificuldades durante a pandemia, o PagSeguro PagBank está promovendo ações como taxa 0% para vendas com QR Code, desconto de 10% (cashback) para compras nas principais redes de farmácias.

Lançou ainda a plataforma de vendas online PedeFácil. Iniciativas que podem ser acessadas por meio do site pagpropequeno.com.br.

O PagSeguro PagBank foi escolhido pelo governo de Minas Gerais para ser a conta digital de distribuição da “bolsa-merenda”, benefício a ser pago em quatro parcelas mensais de R$ 50 para mais de 275 mil famílias carentes.

Para aqueles que optarem por receber pela conta digital, o PagSeguro PagBank depositará R$ 20 extras ao benefício.

O banco digital também é opção para o recebimento do auxílio emergencial de R$ 600 concedidos pelo Governo. Aqueles que escolherem receber pelo PagBank também ganharão R$ 20 a mais, depositados diretamente na conta.

Mais de 22 mil clientes já receberam aproximadamente R$ 15 milhões da primeira parcela do auxílio emergencial na conta PagBank, sem filas e de maneira digital, simples e segura.

As iniciativas representam uma ajuda de cerca de R$ 30 milhões às famílias brasileiras que mais vulneráveis ao novo coronavírus.

É o mesmo montante destinado a um fundo criado pela Stone, que também atua na área de serviços de financeiros e de pagamentos.

Hospital de Campanha no Parque dos Atletas, no Rio de Janeiro
Hospital de campanha no Parque dos Atletas, no Rio de Janeiro - Divulgação

A fintech doou R$ 5 milhões para a construção do Hospital de Campanha no Parque dos Atletas, no Rio de Janeiro, e 10 mil testes para o Hospital das Clínicas em São Paulo.

Para diminuir o impacto econômico nos negócios entre a clientela de micro e pequenos empreendedores durante a quarentena, a empresa anunciou R$ 30 milhões em iniciativas, como isenção de mensalidade e redução de taxas.

“Nossos clientes viram seus negócios fechar de uma hora para outro e, segundo diversos estudos, a maioria dispõe de apenas 20 dias de capital de giro para sobreviver”, afirma Alessandra Giner, diretora da Marketing da Stone.

Leitos do hospital de campanha no Parque dos Atletas, no Rio de Janeiro
Leitos do hospital de campanha no Parque dos Atletas, no Rio de Janeiro - Divulgação

A fintech buscou também parcerias pra oferecer ferramentas gratuitas para venda a distância, como links de pagamento, máquinas extras para delivery e gerador de anúncios para WhatsApp.

Iniciativas que integram a Campanha Compre local, cuide de um pequeno negócio, para engajar o consumidor.

A Stone abriu ainda uma linha de microcrédito de R$ 100 milhões voltada para os setores de alimentações, varejo e serviços.

Em outra frente, os 500 mil clientes e os funcionários da empresa passaram a contar com um serviço de telemedicina para aqueles que tiveram algum sintoma da Covid-19.

“Disponibilizamos médicos e enfermeiros por meio de um número de telefone ou de WhatsApp para todos eles e seus familiares”, explica a diretora.

Também com um investimento social durante esta crise de R$ 30 milhões, a XP Inc. lançou o movimento Juntos Transformamos.

Para aderir, pessoas físicas e jurídicas podem fazer suas doações pelo site www.juntostransformamos.com.br.

Até o momento, o movimento soma R$ 31,8 milhões em doações. Desde total, R$ 5 milhões foram destinados à saúde e o restante, à alimentação.

Lançado em março com o objetivo de ajudar famílias em extrema vulnerabilidade social, o Juntos Transformamos já doou mais de 54 mil cestas de alimentos, impactando cerca de 244 mil brasileiros.

No braço de saúde do projeto, a parceria com o União RJ garantiu nove novos leitos ao Instituto da Criança. Os Amigos do Bem adquiriram quatro ambulâncias e distribuíram 15 mil kits de higiene em cidades do Nordeste.

Por meio de parceria com ONGs como Gerando Falcões, Amigos do Bem, Visão Mundial e Comunitas, e articulações como o grupo União SP, as doações beneficiaram famílias em diversos estados do país.

“Nenhuma família pode ficar sem ter o que comer em casa", afirma Guilherme Benchimol, CEO da XP. "Faço um apelo para todos que querem ajudar e não sabem como fazer isso de forma segura e transparente: junte-se a nós."

A ideia da empresa é tornar o Juntos Transformamos em fundo de solidariedade permanente.

No início da pandemia, o Nubank anunciou um aporte de R$ 20 milhões em doações pra minimizar o impacto da Covid-19 no país.

O maior banco digital do país também passou a oferecer renegociação de empréstimos com 60 dias de carência e parcelamentos de fatura em até 12 vezes com juros de 1,9% ao ano.

O Nubank aderiu também à campanha Tech for Good, contribuindo com a doação de 25 mil máscaras para o Hospital da Clínicas de São Paulo.

Os fundadores das startups Wildlife e Loft mobilizaram os donos de outros nove unicórnios de origem brasileira, como 99, Rappi e Loggi, para a arrecadação de 3 milhões de máscaras para o hospital público de referência na capital paulista.

A Loft, empresa que utiliza tecnologia para facilitar a compra, reforma e venda de imóveis, criou um fundo de até R$ 5 milhões para apoiar trabalhadores da construção civil e prestadores de serviço.

Os R$ 3,6 milhões já arrecadados estão sendo disponibilizado para antecipar pagamentos aos trabalhadores que tiveram de ficar em casa em razão da interrupção de obras na quarentena.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.