Empréstimo coletivo seleciona negócios que vão trabalhar pela recuperação econômica

Sitawi vai selecionar negócios, cooperativas e organizações com missão de impacto positivo que buscam captar entre R$ 200 mil e R$ 700 mil

São Paulo

A Sitawi Finanças do Bem abre uma chamada de apoio a negócios, cooperativas e organizações sem fins lucrativos que têm como missão gerar impacto socioambiental positivo no Brasil e vão trabalhar pela recuperação econômica pós pandemia.

As organizações selecionadas irão participar de uma rodada de investimento pela Plataforma de Empréstimo Coletivo, uma iniciativa da Sitawi e Instituto Sabin, e poderão captar entre R$ 200 mil e R$ 700 mil.

Os interessados podem se inscrever até 16 de agosto e devem preencher um cadastro pela página da chamada.

Nova chamada de negócios de impacto para empréstimo coletivo da Sitawi vai avaliar e selecionar candidatos pelos critérios financeiro, de modelo de negócios e impacto
Nova chamada de negócios de impacto para empréstimo coletivo da Sitawi vai avaliar e selecionar candidatos pelos critérios financeiro, de modelo de negócios e impacto - Instagram/Reprodução

Eles terão que descrever informações sobre a organização relacionadas a missão, receita, impacto e objetivo da captação, entre outros aspectos.

Para participar, as organizações devem ter missão de impacto socioambiental positivo de quaisquer formatos jurídicos, operação com modelo de negócios viável e capacidade de pagamento. O acesso ao crédito permitirá que os empreendedores sigam crescendo e aumentem seu impacto, contribuindo para a recuperação econômica do Brasil pós pandemia.

A Plataforma de Empréstimo Coletivo Sitawi funciona no modelo Peer-to-Peer lending (P2P), em que pessoas físicas emprestam dinheiro, junto com a Sitawi, diretamente para os negócios.

O empréstimo ocorre em rodadas de ação coletiva, em que diversos investidores investem com cotas a partir de R$ 1.000.

O modelo possibilita que os empreendedores sociais tenham acesso a crédito a juros baixos e sem taxas abusivas, tornando o processo eficiente e justo.

O valor captado deve ser devolvido em parcelas mensais em até 36 meses. A taxa de juros cobrada aos empreendedores varia a cada rodada, e neste ano será de 7 a 8%.

As condições especiais de empréstimo deste modelo são importantes no momento em que pequenas e médias empresas enfrentam queda de receita, baixo saldo em caixa e dificuldade de acesso a financiamento.

Segundo pesquisa do Sebrae em parceria com a FGV, dos 6,7 milhões de empreendedores de pequeno porte que pediram crédito desde o início da pandemia, apenas 16% conseguiram. Os dados mais recentes apontam que 41% das empresas têm dívidas ou empréstimos em atraso e que para 87% o impacto da pandemia continua sendo a diminuição do faturamento.

Investidores interessados em apoiar negócios de impacto com retorno financeiro poderão se cadastrar na Plataforma para serem avisados das próximas rodadas de empréstimo coletivo.

Para custear a operação da Plataforma de Empréstimo Coletivo e, assim, ampliar e democratizar o acesso ao investimento de impacto, a Sitawi conta com o apoio do Instituto Sabin dentro de um modelo de blended finance (ou financiamento misto).

O blended finance ocorre quando um dinheiro destinado a impacto social —neste caso, o apoio do Sabin— é mobilizado para alavancar o investimento em desenvolvimento sustentável por outros atores, pessoas físicas que investem pela Plataforma.

O modelo é estrategicamente usado para estimular investimentos em projetos que contribuem para alcançar as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs), estabelecidas pela ONU.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.