Dia de Doar reúne brasileiros para tornar o país mais solidário

Presente em mais de 70 países, o movimento ganhou força na pandemia e ajuda a transformar a doação em um hábito universal

São Paulo

Em 2020, a mobilização dos brasileiros em prol da solidariedade começou em março, quando a sociedade percebeu que era hora de doar para combater uma crise inédita: a pandemia do novo coronavírus.

Por isso, o Dia de Doar 2020, que acontece em 1º de dezembro, chega com um apelo mais forte, uma conscientização maior e mais de R$ 6 bilhões doados por toda a sociedade, de acordo com o Monitor das Doações.

Em maio, foi realizado o Dia de Doar Agora, uma edição extraordinária em função da urgência trazida pela Covid-19.

Em 2020, Dia de Doar ocorre em 1º de dezembro
Em 2020, Dia de Doar ocorre em 1º de dezembro - Reprodução/Instagram

​No dia 5 de maio, foram R$ 2,3 milhões doados online por 3.200 doadores. Além disso, a mobilização alcançou pelo menos 14 milhões de pessoas online.

“Essa situação extrema que vivemos escancarou de um lado as desigualdades e de outro a generosidade. Nos vimos sensibilizados pelo mesmo risco e mostramos ao mundo que o brasileiro é um povo que gosta de doar”, explica o diretor executivo da ABCR, responsável pelo Dia de Doar, João Paulo Vergueiro.

Neste ano, mais uma vez, o movimento deve crescer e tomar conta de várias comunidades, cidades e estados.

Milhares de organizações e pessoas se prepararam para receber doações e milhões de brasileiros poderão apoiar os mais vulneráveis.

Em dezembro do ano passado, o Dia de Doar estimulou R$ 2,3 milhões em doações em um único dia, impactando 42 milhões de pessoas nas mídias sociais com a hashtag #diadedoar. Além disso, foram mais de cem histórias de doações compartilhadas na plataforma Minha História de Doação.​

O Dia de Doar é democrático, e quanto mais gente se engajar, maior ele se torna e mais pessoas e causas são beneficiadas. Por isso as campanhas de cada município de todo o Brasil são tão importantes.

Um exemplo de iniciativa é a realizada pela Fundação José Luiz Egydio Setúbal, que participa de diversas formas: tem campanhas de engajamento de funcionários para doarem para o Fundo Areguá com bolsas para estudantes de medicina que não conseguem pagar as mensalidades; campanha de conscientização das crianças com distribuição de porquinhos de cerâmica para serem pintados e usados como cofre de moedas e depois de cheios serem doados; botons alusivos à cultura de doação.

Há ainda as campanhas comunitárias, que ampliam o impacto da doação para cidades, comunidades e causas. Elas promovem a doação da comunidade para a própria comunidade, estimulando o engajamento local das pessoas. Tem as campanhas #DoaSorocaba, #DoaSergipe, #DoaCampinhas, #DoaPiracaia, entre outras.

Ajudar pacientes de câncer também é o foco da campanha do Dia de Doar Natal dos Sonhos, em Teresina, que vai beneficiar pessoas atendidas pela Casa Esperança e Vida. Em Sergipe a campanha incentiva a doação para dez instituições de diferentes causas no estado.

“Seja doce, seja gentil - sua doação torna o mundo mais doce” é o tema de uma ação em Florianópolis, promovida pela Irmandade Divino Espírito Santo, que terá um drive thru de brigadeiro —as pessoas poderão comprar o voucher pelo site e pegar o brigadeiro no Dia de Doar, em um dos pontos de venda.

Em busca de ter uma casa para atender as pessoas que ajuda, a Associação das pessoas com Deficiência Visual e Amigos de Gravataí (RS) promove a ação “Você doa e passa a ser um milhão”, convidando doadores a contribuírem com R$ 1, ajudando a ADVA a conquistar um milhão de amigos e sua sede própria.

Para que todos que quiserem possam se engajar de alguma forma, a ABCR criou uma série de materiais para divulgação do movimento, sugestões para fomentar a ação e dicas para as organizações são disponibilizados no site www.diadedoar.org.br.

O site também ajuda com um passo a passo para quem quiser fazer a diferença. São dicas de como elaborar a campanha desde a definição da meta, plano de trabalho, criação de uma marca, equipe e divulgação.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.