Programa vai acelerar projetos hídricos inovadores no semiárido

Lab Água, da Votorantim, inclui prototipagem, codesign com a comunidade e capital semente; inscrições vão até 29 de junho

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A Votorantim Energia e o Instituto Votorantim lançam programa para acelerar iniciativas que contribuam com o enfrentamento da escassez hídrica no semiárido, incluindo melhoria do acesso à água e soluções de convivência com a seca.

O Lab Água selecionará 20 organizações com soluções inovadoras para mitigar os problemas hídricos da Serra do Inácio, na divisa entre Pernambuco e Piauí. As inscrições podem ser feitas no site institutovotorantim.org.br/labagua até 29 de junho.

Podem se inscrever projetos de pesquisa, startups, organizações sociais e outros tipos de empreendimentos. As interessadas precisam ter mínimo produto viável (MPV) validado ou em fase de validação para participar da mentoria online.

Cinco delas receberão capital semente, no valor total de R$ 230 mil, para prototipar no território, com possibilidade de codesign com a comunidade.

“O programa prevê o teste dos projetos na Serra do Inácio, região carente de recursos básicos, e a participação da comunidade a fim de ampliar as possibilidades de aplicação e sustentabilidade dos projetos", diz Rômulo Vieira, diretor corporativo da Votorantim Energia. "Os moradores vão atuar em codesign, ajudando a desenhar os projetos que vão receber o capital semente”, completa.

O objetivo do Lab Água é proporcionar o desenvolvimento e o fortalecimento de iniciativas inovadoras que possam ser replicadas em outros locais. A companhia atua na Serra do Inácio desde 2015, quando iniciou a construção do complexo de energia eólica Ventos do Piauí I.

A empresa desenvolveu atividades socioambientais no sertão nordestino em ações de diferentes perfis, como mutirão de documentos, cisternas para pequenos agricultores e um curso técnico em energias renováveis.

Além de dois complexos em atividade na Serra do Inácio e na Serra do Araripe, a companhia está construindo mais dois empreendimentos para ampliar sua geração de energia eólica na região, considerada a melhor do mundo para esse tipo de atividade.

“Desde que chegamos, traçamos ações socioambientais sequenciais para a região, algumas em caráter mais emergencial, fundamentais para que outras ocorressem", diz Vieira.

Segundo o executivo, diante dos desafios hídricos na Serra do Inácio, a empresa optou pela aceleração de projetos inovadores e de impacto social. "Sabemos que os que funcionarem na região terão grandes chances de serem replicados em vários outros territórios."

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.