Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
28/04/2011 - 19h16

Vencedor do Prêmio Empreendedor Social 2010 é anunciado como integrante da Rede Schwab

Publicidade

CÁSSIO AOQUI
PATRÍCIA TRUDES DA VEIGA
ENVIADOS ESPECIAIS AO RIO

Reprodução
World Economic Forum

Diante de uma plateia com mais de mais de 400 líderes globais de 45 países, Klaus Schwab, CEO do Fórum Econômico Mundial para a América Latina, anunciou os cinco novos integrantes da rede "Empreendedores Sociais de Destaque" da Fundação Schwab, criada em 2000 por ele e sua mulher, Hilde.

O brasileiro Roberto Kikawa --eleito Empreendedor Social do Ano em 2010, em parceria com a Folha--, o chileno Tomás Recart, o colombiano Felipe Vergara, o mexicano Francesco Piazessi e a venezuelana Claudia Valladares agora integram o time de 195 líderes sociais de 51 países da Fundação Schwab.

"A América Latina é a região com maior densidade de empreendedores sociais e esses 5 se destacaram entre mais de 600 candidatos analisados, mostrando excelência e modelos a serem imitados", disse Klaus Schwab. "Somos uma plataforma de multi-interessados em mudanças sociais e precisamos dar as mãos a eles."

Rafael Andrade/Folhapress
Roberto Kikawa, do Projeto Cies
Roberto Kikawa, do Projeto Cies

Para Hilde Schwab, o projeto idealizado pelo médico Roberto Kikawa --um caminhão com 100 m2 que oferece atendimento médico-preventivo-- "permite que comunidades de baixa renda se beneficiem de tecnologia médica sofisticada para diagnóstico e tratamento, e o potencial de se levar isso a várias outras partes do mundo é tremendo".

Na avaliação de Jacques Marvovitch, professor da FEA-USP, os empreendedores sociais apresentaram "exemplos embrionários que mostram novas saídas para as políticas públicas, que estão amarradas ao passado, como a construção de grandes hospitais públicos". A ideia da carreta da saúde indo atrás da comunidade, em termos de custos, "é extraordinário não só para o Estado como para a comunidade, que obviamente têm dificuldade de acesso ao transporte".

Sensivelmente emocionado, Kikawa disse que "muita coisa mudou" desde que foi eleito Empreendedor Social 2010. "Acho que agora posso fazer muito mais", disse. "Minha luta é para que a carreta da saúde vire uma política pública, já que o projeto prevê na sua missão a integração empresa-governo sem perder a essência da comunidade".

E os primeiros passos foram dados já neste ano: o governador Geraldo Alckmin reconheceu o Projeto Cies como de utilidade pública, e o governador Sérgio Cabral, com quem se encontrou ontem no Fórum Econômico, prometeu estrutura para que as vans da saúde percorreram ruas de difícil acessso as favelas.

"Foi mais um degrau, mas ainda faltam muitos para chegar lá. Fazer várias carretas é fácil, o desafio é replicar a essência do projeto, de trazer tecnologia para que o médico tenha mais tempo de ofecerer um tratamento humanizado", afirmou Kikawa. "É preciso olhar nos olhos do paciente, ouvi-lo, e acabar com o fast-food na medicina."

Conheça os cinco novos integrantes da Fundação Schwab:

Roberto Kikawa, hoje reconhecido gastroenterologista brasileiro, aprendeu sua primeira especialidade médica -primeiros-socorros- ainda pequeno, como integrante de um grupo escoteiro. Anos depois, acompanhou a degradação da saúde de seu pai, com câncer. Desde então, prometeu a si mesmo ser um médico que prima pela qualidade do atendimento. É mestre pela Universidade de São Paulo e professor-titular do centro universitário e diretor do hospital São Camilo, além de estar à frente do serviço de endoscopia de outros quatro hospitais. Está à frente do Projeto Cies desde seu início, em 2008.

Alexandre Campbell/World Economic Forum
Os cinco novos integrantes da Rede Schwab
Os cinco novos integrantes da Rede Schwab

Tomás Recart estudou engenharia civil e, posteriormente, obteve grau de mestre em administração pública em desenvolvimento internacional na universidade de Harvard. Antes de fundar a Enseña Chile, ele desenvolveu uma ferramenta para criar e acompanhar incentivos para a melhora da frequência dos alunos na escola. Essas experiências convenceram-no de que, para atingir igualdade socioeconômica, é necessário oferecer oportunidades educacionais iguais. Em 2006, Recart conheceu Wendy Kopp, fundador do Teach for America, e discutiu com ele a possibilidade de adaptação e implantação do modelo no Chile, o que aconteceu em janeiro de 2008.

Felipe Vergara, ex-consultor da McKinsey, desde jovem foi um entusiasta do acesso ao ensino superior aos que estão fora do sistema. Quando seu melhor amigo no ensino médio, que era o primeiro colocado na turma, não conseguiu frequentar a universidade por falta de condições financeiras, Vergara percebeu que o mercado de crédito universitário era ineficiente: se alguém investisse na educação de um futuro trabalhador com alto potencial, o retorno sobre esse investimento na forma de ganho futuro compensaria facilmente o custo da educação. Anos mais tarde, quando conheceu Miguel Palacios, que estava aperfeiçoando investimentos em capital humano, é que o modelo inovador para investimentos em capital humano surgiria, dando vida à Lumni, em 2004.

Francesco Piazessi cresceu no México e aprendeu sobre o negócio de construção com a família. Entusiasta do fortalecimento comunitário e defensor de que os mais pobres dos pobres sejam proprietários de suas casas, Piazessi fundou, em 1985, a Eco-Block, uma organização sem fins lucrativos que ensinava comunidades a fazer materiais de construção robustos usando 90% de terra natural. Percebendo que o fortalecimento comunitário e a titularidade das casas exigem outros componentes, tais como capital social, educação financeira e instrumentos de crédito, em 1997 ele transformou a Eco-Block em um negócio social, a Échale a Tu Casa.

Claudia Valladares, engenheira de sistemas com MBA em finanças, trabalhou em organizações sem fins lucrativos, institutos e instituições financeiras antes de assumir a vice-presidência da Banca Comunitária no Banesco Banco Universal, em 2006. Na função, ajudou microempreendedores a aumentar a renda em 27% e a venda em 34%, em média. De um total de mais de 15 mil clientes que receberam um segundo empréstimo ou empréstimos adicionais em 2009, 8.764 começaram a usar as respectivas poupanças; mais de 9.000 aprimoraram suas competências em gestão comercial; mais de 10 mil adquiriram casa própria no ano passado e mais de 13 mil têm hoje serviços telefônicos e TV a cabo. E 4.600 microempreendedores criaram dois ou mais postos de trabalho em suas comunidades.


 
Patrocínio: Coca-Cola Brasil e Portal da Indústria; Transportadora Oficial: LATAM; Parceria Estratégica: UOL, ESPM, Insper e Fundação Dom Cabral
 

As Últimas que Você não Leu

  1.  
  • Realização
  • Patrocínio
    • CNI
    • Vale
  • Parceria Estratégica
  • Parceria Institucional
  • Divulgação
    • Aiesec
    • Agora
    • Brasil Júnior
    • Envolverde
    • Endeavor
    • Ideia
    • Make Sense
    • Aspen
    • Semana Global de Empreendedorismo
    • Sistema B
    • Avina

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página