Descrição de chapéu Dias Melhores

Ônibus e carreta do Fiis atendem pacientes do SUS em Poços de Caldas

Membros da Rede Folha realizam exames oftalmológicos, preventivos e triagem odontológica

Patricia Pamplona
Poços de Caldas (MG)

Os participantes do Fiis (Festival de Inovação e Impacto Social) e a população de Poços de Caldas (MG) tiveram a oportunidade de realizar exames preventivos e consultas oftalmológicas durante o evento.

O atendimento gratuito contemplou ainda 40 crianças que passaram por triagem dos dentistas voluntários da Turma do Bem, correalizadora do evento.

As consultas foram um uma forma de agradecimento à cidade, que recebeu durante seis dias intensa programação de painéis, workshops, oficinas e atividades culturais.

O trabalho chamou a atenção de dentistas que foram ao evento à convite da Odontoprev, e a rede de voluntários da Turma do Bem ganhou novos integrantes.

Os médicos da Renovatio atenderam pacientes que aguardavam havia cerca de um ano e meio por uma consulta oftalmológica. "Operei a catarata há quatro anos. Doeu muito, continuou doendo e está sumindo a visão", contou Nazaré Souza, 76.

O atendimento dos médicos na terça-feira (6), quando foi comemorado o aniversário da cidade, não decepcionou a aposentada. "A consulta foi ótima, bom demais."

Os pacientes também receberam óculos doados. Ralf Toenjes, fundador da Renovatio e integrante da Rede Folha de Empreendedores Socioambientais, disse que a intenção era deixar um legado para Poços de Caldas.

A solução foi elogiada por Fátima Helena, 58. "Já recebi um par de óculos e vou pegar outro depois. Excelente."

Além dos pacientes agendados no SUS, outros foram encaixados. "Abrimos 300 vagas, mas chegou gente o dia inteiro. É uma oportunidade importante para a população."

Nos dois primeiros dias, foram atendidos os participantes do Fiis, que compraram 118 pares de óculos do negócio social VerBem. A iniciativa, também criada por Toenjes, ajuda a garantir a doação dos óculos da Renovatio.

"São pessoas engajadas na causa social, entendem nosso modelo de ter negócio de impacto que ajuda a financiar uma causa importante."

Assim como o ônibus, fez sucesso a carreta do Cies Global (Centro de Integração de Educação e Saúde). Durante dois dias, um clínico geral fez um painel de glicemia e mediu o risco cardiológico dos interessados.

"O propósito é trazer a mentalidade da prevenção", afirmou o médico Roberto Kikawa, fundador da organização e integrante da Rede Folha.

O atendimento humanizado foi destacado pelos pacientes. "É bom para a gente que não tem tempo", disse Ana Paula Lima, 35, funcionária do Graacc (Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer) e participante do Fiis. "No hospital, é muito rápido. Às vezes, o médico está com mais pressa que a gente."

A carreta acabou atraindo mais pacientes. "Fiquei sabendo pela televisão", afirmou João Sandi, 47.

Para o prefeito de Poços de Caldas, Sérgio Azevedo (PSDB), as ações contribuíram muito para o serviço público de saúde. "Impactou profundamente nossa comunidade, levando um atendimento mais ágil a pessoas que realmente necessitavam."

hospital lego

A promoção de consultas em formatos alternativos ganha mais um capítulo. O médico Roberto Kikawa anunciou a construção de "hospitais lego" no Brasil, nos Estados Unidos e na Nigéria.

Trata-se de unidades hospitalares construídas em contêineres descartados. "O que fazemos é construir módulos de centros cirúrgicos, endoscopia, tomografia, ressonância. Unindo essas unidades móveis, você tem um hospital."

Kikawa diz que o sistema, que atende sob demanda otimiza os custos e gera impacto social, promovendo a saúde forma sustentável.

No Brasil, a instalação está prevista para o primeiro trimestre de 2019, na zona oeste de São Paulo. Decidida a construção, o hospital deve ficar pronto em 60 dias.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.