Descrição de chapéu educacao

Em vídeo, pai pune filho de 10 anos com corrida na chuva por causa de bullying

Milhões de pessoas assistiram ao castigo, que gerou discussão sobre a educação de crianças

Lindsey Bever
Washington

Um morador da Virgínia (EUA) suscitou um grande debate sobre as responsabilidades dos pais depois de postar um vídeo em uma rede social que ganhou circulação viral. O vídeo mostra seu filho de 10 anos correndo o caminho todo até a escola na chuva como punição por ele ter praticado bullying.

Bryan Thornhill, da cidade de Roanoke, explicou que seu filho, Hayden, sofreu uma suspensão de três dias do ônibus escolar, na semana passada, e por isso tinha de realizar a pé o percurso de 1,5 km até a escola.

“Para mim era óbvio: o seu filho é expulso do ônibus escolar e você o leva de carro à escola? Não, isso seria um prêmio. E prêmios não eram opção”, disse Thornhill, 33, em entrevista por telefone.“Você precisa superar as circunstâncias em que você mesmo se coloca na vida.”

Ele transmitiu um vídeo ao vivo na quinta-feira passada (1° de março) que o mostrava dirigindo seu carro vagarosamente, a cerca de 10 km/h, seguindo seu filho. Via-se o menino, carregando uma mochila e correndo pela rua sob a chuva.

“Meu filho acabou por arranjar tantas encrencas no ônibus escolar que acabou suspendendo-o de usá-lo por três dias, porque estava sendo um pequeno bully [valentão, em tradução livre], algo que não tolero”, disse Thornhill no vídeo.

O pai explicou que seu filho é tem perfil atlético e que a escola fica a apenas 1,5 km de sua casa. “O que estou fazendo aqui é simplesmente ser pai, à moda antiga.”
“Ninguém vai morrer por isso. Essa é uma forma saudável de punir uma criança”, afirmou. “Ensine à criança uma lição. Você não precisa matá-lo, você nem sempre precisa bater nele.”

REPERCUSSÃO

O vídeo foi visto por mais de 20 milhões de pessoas, e gerou debates nas mídias sociais sobre a forma correta de criar um filho.

Alguns espectadores expressaram preocupação pelo risco de o menino adoecer ao correr na chuva, ou pelo uso da mochila durante a corrida representar um risco de lesões físicas.

Bryan Thornhill e seu filho Hayden; pai faz filho que praticou bullying andar na chuva até a escola
Bryan Thornhill e seu filho Hayden; pai faz filho que praticou bullying andar na chuva até a escola - Reprodução/Facebook

Outras pessoas elogiaram o pai pela atitude, em meio à atenção cada vez maior dedicada aos casos de bullying [intimidação]. “Se vocês acreditam que precisamos de controle de armas , pessoal, eis a resposta: precisamos ser pais firmes”, disse Thornhill.

Ele se define como defensor do direito ao porte de armas, e disse que pode trancar suas armas em um cofre mas não pode trancar seus filhos. "Posso controlar minhas armas com facilidade, por toda a vida. Mas isso é algo que tenho de garantir que eu controle"

Thornhill descreveu seu filho, que está na quinta série, como o brincalhão da sala, um menino que gosta de se divertir e provocar risadas. Ele diz que não quer que isso mude, mas também quer ensiná-lo a não se comportar mal. 

O pai afirma desejar ensinar seu filho a administrar suas limitações, levando em conta que o menino teve diagnosticado um transtorno de déficit de atenção e hiperatividade.

BULLYNG

Thornhill disse que quando seu filho foi suspenso do ônibus escolar na semana passada —por pular de banco em banco e acertar um chute na virilha de outra criança, sem querer, e por arrastar uma outra criança pelo corredor—, ele encarou o incidente como uma oportunidade de aprendizado para o filho.

“Ele estava empurrando, gritando, sendo ruidoso —agindo de modo indisciplinado”, disse à reportagem. 

“Ele tem um distúrbio de atenção e hiperatividade, mas não vou deixar que isso o defina e o limite. Ele terá de assumir a responsabilidade por suas ações. Não podemos usar nossas deficiências como desculpas na vida. Temos de encontrar maneiras de seguir adiante.”

O pai disse que a punição e o vídeo que a registra, na verdade, teriam se tornado algo bacana. Desde que postou o vídeo, ele diz ter recebido mensagens de apoio de dezenas de milhares de pais, e que seu filho de 10 anos está se comportando bem, na escola e em casa.

Thornhill contou que a filha, de oito anos, havia lhe dito que também queria correr, e ver se conseguia superar o irmão.

Ele manifestou à reportagem o desejo de mandar um recado para os outros pais: “Estejam presentes na vida de seus filhos. E os eduquem”.

Ele disse ter compartilhado o vídeo também porque é engraçado. “Se você se incomoda por ver uma criança correndo, bem, lamento por você”, disse no vídeo. “Se uma criança correndo o incomoda, saia do sofá —você provavelmente precisa de uma volta ou duas no quarteirão.”

Washington Post

Tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.