Descrição de chapéu Saúde responde

Como clarear manchas de pele?

Melasma é o tipo de mancha mais comum e está relacionado à exposição à luz

São Paulo

Se você curtiu bem o verão e teve como resultado uma mancha de pele, vá a um dermatologista. Pode ser o tipo de mancha mais comum na pele, que se chama melasma, ou, em casos mais graves, sinal de câncer, afirma Paulo Ricardo Criado, médico da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

O melasma aparece com o aumento da produção da melanina, pigmento que define a cor da pele. De modo geral, a mancha é causada pela exposição sem proteção tanto ao sol quanto à luz visível —como as lâmpadas brancas de ambientes fechados.

 
A dermatologista Antonella Tosti, em Miami (EUA), usa iPhone para examinar sintomas de câncer de pele e fotografar lesões suspeitas no paciente Michael Casa Nova, 12. O aparelho também é usado em exames oftalmológicos.
A dermatologista Antonella Tosti, em Miami (EUA), usa iPhone para examinar sintomas de câncer de pele e fotografar lesões suspeitas no paciente Michael Casa Nova, 12. O aparelho também é usado em exames oftalmológicos - France Presse- AFP

O tratamento dessas manchas costuma ser feito com cremes ou géis elaborados com ingredientes como hidroquinona, derivados de ácido retinoico e outros ácidos com poder clareador.

Como são medicamentos sensíveis, que podem causar reações alérgicas, vermelhidão e até piorar as manchas, é essencial ter acompanhamento médico e indicação de tratamento para seu tipo de pele.

O melasma é mais frequente em mulheres e tem relações com genética e fatores hormonais. O estímulo hormonal da gravidez, por exemplo, acaba levando ao aparecimento das manchas. 

A pigmentação pode ser tanto superficial quanto mais profunda, o que dificulta o tratamento. 

“Além do componente da pigmentação, há também um componente vascular, mais sensível à luz visível. A 'pedra fundamental' é a proteção solar adequada”, diz Criado.

Segundo o dermatologista, para quem trabalha em ambientes fechados o ideal é passar protetor pelo menos de manhã e na hora do almoço. Já para ambientes abertos, o ideal é passar a cada 2h. 

“O verão não é uma época adequada para tratar essas manchas, porque mesmo que você não vá se expor de forma recreativa, a caminhada sob o sol já é suficiente para manchar a pele”, diz o especialista da SBD. 

A exposição inadequada após o início do tratamento pode, inclusive, repigmentar a mancha, afetando o andamento do tratamento. 

“As pessoas também devem evitar tratamentos caseiros”, diz Criado. “Tudo que queremos resolver rapidamente pode acabar se agravando ao invés de melhorar.”
 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.