Neta de Iyengar, o mestre da 'ioga para todos', participa de encontro no Brasil

Linha utiliza objetos que permitem a realização das posturas por pessoas sem preparo

São Paulo

Com um público previsto de 400 pessoas, começa neste sábado (18), em São Paulo, a 3º Convenção Brasileira de Iyengar Yoga.

Nesta edição, o Brasil recebe pela primeira vez um membro da família Iyengar, Abhijata, a sucessora responsável pelo legado e neta do mestre B.K.S. Iyengar (1918-2014), fundador dessa linha dentro da hata-ioga.

"Ioga para todos" e "meditação em movimento" são as frases usadas para definir o método que leva o nome do guru indiano, reconhecido como uma espécie de embaixador da ioga no Ocidente. Foi ele também quem transgrediu, mesmo respeitando a tradição, ao ministrar aulas mistas e democratizar o conhecimento de ioga de diferentes formas.

Fica na Índia o seu principal centro de formação, o Ramamani Iyengar Memorial Yoga Institute, em Puna. A cerca de 150 km de Mumbai, a cidade é um polo educacional do país, e o instituto de ioga é a meca dos seguidores e das associações de Iyengar espalhados pelo mundo.

Foi B.K.S. Iyengar quem sistematizou o aprendizado da prática milenar ao catalogar os principais “ásanas” (posturas), organizar sequências, explicar alinhamentos e estruturar o ensino do iniciante rumo à complexidade física e espiritual da ioga.

Além dessa sistematização didática, publicada em 1966 em seu livro “Luz sobre o Yoga” (a edição brasileira, pela editora Pensamento, é de 2016), Iyengar ficou famoso por introduzir na sala de aula os “props”, objetos que auxiliam os ajustes corporais e permitem a realização das posturas por pessoas sem preparo ou estudantes com limitações físicas —daí o qualificativo de “ioga para todos”.

As próprias dificuldades do mestre, que foi uma criança doente e desnutrida, o levaram a criar esses materiais de apoio. Se as mãos não alcançam o solo na flexão do tronco, os dedos conseguem tocar um bloco posicionado em frente ao praticante; cintos e cordas sustentam as posições invertidas e bastões podem ser usados para “abrir” o peito, por exemplo.

“Isso ajuda quem não consegue fazer a postura e aumenta o efeito terapêutico da prática”, diz Sun Vaz, atual presidente da ABIY (Associação Brasileira de Iyengar Yoga). Também diminui o risco de lesões, afirma ele.

Para garantir a segurança no aprendizado, há um sistema padronizado de instrução e certificação dos professores. A formação dura seis anos: três de prática e três de estudos específicos para ministrar aulas, que incluem conteúdos de anatomia e fisiologia.

Após esse período, é feita a prova da qual dependerá a certificação. No Brasil, esse exame é realizado uma vez ao ano, com um examinador vindo do exterior, indicado pelo instituto de Puna.

“Em geral, o ensino de ioga é meio estereotipado e não segue linhas muito definidas. O Iyengar é uma escola para seguir o caminho de forma séria e com enfoque mais terapêutico”, afirma Vaz.

A professora Renata Ventura, coordenadora do estúdio Namaskara em São Paulo, enfatiza uma particularidade dessa corrente: o alinhamento preciso da postura, que não apenas protege articulações, músculos e órgãos, mas promove o equilíbrio e o fluxo de energia ("prana") em direção à consciência, na visão dos seguidores.

"É um alinhamento de fora para dentro e de dentro para fora. Da pele para os músculos, dos músculos para os ossos, dos ossos para as células, os órgãos e a energia, trabalhando os processos metabólico, fisiológico e espiritual. O método busca alinhamento, precisão e intensidade dentro dos 'ásanas' e 'pranayamas' (exercícios respiratórios)", explica.

As convenções organizadas pelas associações de Iyengar no mundo apresentam o estilo para praticantes de outras linhas de ioga e oferecem aos já iniciados a oportunidade de aperfeiçoamento com professores que beberam diretamente da fonte, no convívio direto com o guru morto há cinco anos.

A vinda de Abhijata, parte do tour que ela faz em convenções na América do Sul, dá um significado especial ao evento. Além de ministrar aulas do método, no qual foi iniciada aos 16 anos pelo avô, a indiana fará encontros para conversar com os participantes sobre a filosofia e as histórias de vida de B.K.S.

A presença de Abhijata no Brasil, afirma Renata Ventura, é uma oportunidade de disseminar a técnica Iyengar, "com toda sua potência e beleza, como uma ferramenta incrível de ioga e de vida, sem atalhos nem intermediários". A maneira "simples, humilde, sábia e precisa com que ela ensina permite que as pessoas aprendam diretamente do círculo familiar do 'guruji', marcado por mulheres muito fortes", diz. 

Aos 36 anos, formada em bioinformática com mestrado em ciências e mãe de duas garotas, Abhijata representa a força da nova geração, segundo Sun Vaz. “É ela quem vai mostrar o caminho a seguir para manter o legado do mestre”, diz o presidente da ABIY.

3ª CONVENÇÃO DE IYENGAR YOGA

QUANDO sábado (18) e domingo (19) para quem tem no mínimo seis meses de prática em ioga; de segunda (20) a quarta (22) para quem tem no mínimo trÊs anos de prática em Iyengar

ONDE Tênis Clube Paulista, r. Gualaxos, 285, Aclimação, São Paulo

QUANTO de R$ 600 a R$ 1.400 (inscrições no site eventbrite.com.br)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.