Descrição de chapéu Mulher Sogesp

Maioria das adolescentes não usa preservativos, diz levantamento

Pílula do dia seguinte, por outro lado, tem maior adesão entre jovens de 13 a 19 anos

São Paulo

Menos da metade das adolescentes atendidas por ginecologistas e obstetras paulistas usa camisinha na primeira relação sexual ou rotineiramente. Deste grupo, a maioria nem sabe que os preservativos podem evitar a transmissão de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

Os dados são de levantamento feito pela Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (Sogesp) com 849 profissionais. Segundo quase 80% dos especialistas ouvidos, mais da meta­de de suas pacientes entre os 13 e os 19 anos é sexualmente ativa.

Mulher grávida
32,38% dos ginecologistas responderam que menos da metade das adolescen­tes atendidas por eles utili­za preservativo na primei­ra relação sexual - Reuters

Com base nos atendimentos em consultórios, a percepção de 42% dos médicos é a de que apenas uma pequena parte das adolescentes recebe orientações sobre ISTs. Outros 40% acreditam que menos da metade dessas pacientes tenha esclarecimento sobre métodos anticoncepcionais.

A pílula do dia seguinte, por outro lado, tem maior adesão entre as adolescentes: 64% dos profissionais dizem que suas pacientes jovens conhecem o medicamento.

“Esses dados são essenciais para alertar os ginecologistas e obstetras sobre a vulnerabilidade da população de adolescentes. Na maioria das vezes, a orientação sobre IST e anticoncepção só ocorre após o início da vida sexual”, destaca Silva­na Maria Quintana, segun­da-secretária da Sogesp.

É papel do médico ginecologista e obstetra entender o comportamento de suas pacientes e desenhar políticas para melhor atendê-las, afirma a presidente da Sogesp, Rossana Pulcineli Viei­ra Francisco.

“Precisamos de políticas específicas de educação e conscientização para as adolescentes, pois, além do aumento recente de índices de sífilis e HIV, o Brasil apresenta números assustadores de gravidez na adolescência”, diz Pulcineli.

A pesquisa foi realizada pela Sogesp através de questionário online entre 16 de fevereiro a 5 de março de 2018.

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.