EUA confirmam segunda infecção por coronavírus; outros 50 casos são suspeitos

Infecção também foi confirmada no Nepal, o primeiro caso no sul da Ásia

AFP

Os EUA confirmaram nesta sexta (24) o segundo caso de coronavírus chinês. Trata-se de uma mulher na faixa dos 60 anos que mora em Chicago e voltou de Wuhan, na China (onde a epidemia parece ter começado), em 13 de janeiro.

Ela está hospitalizada para evitar o contágio e seu quadro é estável, disse Allison Arwady, diretora de saúde pública de Chicago, em entrevista a imprensa.

O primeiro caso de coronavírus nos EUA havia sido confirmado na última segunda-feira (21), em Washington. O paciente, que foi hospitalizado com pneumonia na semana passada, também havia viajado recentemente para Wuhan, na China.

Os investigadores testaram amostras do paciente em busca do vírus e os resultados positivos para a infecção foram recebidos no fim de semana. Os funcionários se recusaram a identificar o paciente, que estava bastante doente.

Além dos dois casos confirmados, 11 pessoas avaliadas no país receberam diagnóstico negativo e outros 50 pacientes estão sendo investigados.

Até esta sexta (24), mais de mil casos e 41 mortes foram confirmados. Além da China, outros nove países também foram afetados: Nepal, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Vietnã, Singapura, EUA e França. 

 

As autoridades cancelaram eventos do Ano-Novo chinês para impedir que o vírus se espalhe e isolaram cidades da província de Hubei, área com cerca de 40 milhões de habitantes.

Os serviços de transporte público foram totalmente paralisados, afetando pelo menos 13 cidades da região e entorno. O uso de máscaras em prédios públicos se tornou obrigatório e aqueles que desrespeitarem a medida estão sujeitos a responsabilização legal. 

A China também anunciou nesta sexta o fechamento de trechos da Grande Muralha e de monumentos emblemáticos de Pequim.

Os túmulos da dinastia Ming e a floresta Yinshan Pagoda serão fechados a partir de sábado. O Estádio Nacional de Pequim, conhecido como Ninho de Pássaro, construído para os Jogos Olímpicos de Pequim em 2008, teve suas portas fechadas hoje.

Na quinta (23), a OMS (Organização Mundial da Saúde) disse que ainda era cedo para declarar uma emergência internacional de saúde pública por causa do coronavírus. Apesar disso, a organização ressalta que o caso é grave e que pode piorar, porque ainda não atingiu seu ápice. 

"É uma emergência na China, mas ainda não se tornou uma emergência global. Pode ainda se torna uma", disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da OMS.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.