EUA proibirão a entrada de estrangeiros que viajaram para a China

País declara emergência de saúde pública e adota medidas mais restritivas contra epidemia

Eric Beech
Washington | Reuters

O governo Trump declarou sexta-feira (31) uma emergência de saúde pública após o surto de coronavírus e disse que proibirá a entrada nos Estados Unidos, a partir de domingo (2), de estrangeiros que viajaram para a China nas últimas duas semanas.

Além disso, os cidadãos americanos que viajaram para a província de Hubei, na China, nos últimos 14 dias estarão sujeitos a uma quarentena obrigatória de 14 dias, disse o secretário de Saúde americano Alex Azar, em entrevista na Casa Branca nesta sexta-feira (31).

O governo também limitará os voos da China para sete aeroportos dos EUA, disse o secretário. 

Na quinta, a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou que o novo coronavírus é uma emergência de saúde internacional. Com isso, a entidade reconheceu que o vírus representa um risco não só na China, onde ele surgiu no fim de 2019, mas no mundo todo.

A declaração serve como um aviso para todos os Estados membros das Nações Unidas de que o órgão máximo de saúde no mundo considera a situação séria. 

Tedros Adhanom, diretor-geral da OMS, disse que o anúncio visa evitar a expansão da doença. A principal preocupação é que países com sistemas de saúde mais frágeis e despreparados sejam afetados pela epidemia. 

Até a tarde desta sexta, o Brasil não tinha nenhum caso confirmado de coronavírus e 12 casos suspeitos, sete deles no estado de São Paulo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.