Governo de São Paulo anuncia R$ 30 milhões para prevenção contra coronavírus

Primeiro caso da doença foi confirmado no Brasil na terça (25)

São Paulo

O governo do estado de São Paulo anunciou nesta sexta (28), a destinação de R$ 30 milhões para a prevenção contra o novo coronavirus, que teve o primeiro caso brasileiro confirmado nesta semana. Pouco menos da metade do valor será destinado para ações de comunicação.

São Paulo, até o momento, é o único estado brasileiro com um caso de coronavírus confirmado e tem 66 casos de suspeita (na quinta eram 85), de acordo com dados divulgados pelo Palácio dos Bandeirantes.

As peças informativas, às quais serão destinados R$ 14 milhões, estão programadas para ir ao ar na TV e em rádios a partir da próxima terça e devem ser veiculadas por duas semanas. A parte online da iniciativa tem material disponível já a partir desta sexta (o conteúdo pode ser acessado no site http://www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/). 

Os outros R$ 16 milhões da verba anunciada são para apoio operacional.

O infectologista David Uip, que coordena o Centro de Contingência do Coronavírus, será o porta-voz das campanhas informativas a serem veiculadas.

"Ninguém melhor do que o doutor David Uip para fazer essa comunicação", disse o governador João Doria, em entrevista coletiva na qual o anúncio da iniciativa foi feito.

Doria afirmou que, além do combate às fake news, há preocupação com o que chamou de "wrong news", informações erradas que não são propositalmente espalhadas.

Vídeos sobre o coronavírus também serão transmitidos em telas no metrô e na CPTM.

Uip disse que as recomendações para comportamento em transportes públicos são de higiene básica, como tapar a boca e o nariz com lenços de papel ou com o braço para tossir e espirrar, e manter a higiene das mãos com lavagem com água e sabão ou com álcool gel. 

O infectologista também falou sobre quem deve procurar unidades de saúde por suspeita de coronavírus (considerando viagem até um dos países listados pelo Ministério da Saúde). "Paciente com poucos sintomas deve ficar em casa, não tem que procurar serviço de saúde. Tossiu, espirrou, teve febrinha, fica em casa", disse Uip. "Quando deve procurar o serviço de saúde? Quando tiver um desconforto maior. A febre voltou, se prolongou mais de 48 horas e os sintomas estiverem piores."

Contudo, devem ter atenção os grupos vulneráveis, como idosos com mais de 60 anos, principalmente com mais de 80, e pacientes com outros problemas de saúde, como doenças cardiovasculares e diabetes. 

"A hierarquização é fundamental. A China fez um hospital, todos ficaram maravilhados, internalizaram os doentes e o sistema de saúde ruiu", afirmou Uip. "Hospital é para doente grave."

Outro braço do programa de informações ocorrerá na rede estadual de educação com uma semana de conscientização sobre o coronavírus, segundo Cleber Mata, secretario da Comunicação, que também afirmou também que a Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas) ajudará a distribuir informações em voos que chegam a São Paulo.

O governo do estado também planeja se reunir com as prefeituras para passar orientações sobre a situação. 

Um homem de 61 anos de São Paulo foi o primeiro caso confirmado de coronavírus no Brasil. Ele viajou em fevereiro para a Itália, que enfrenta um surto do vírus. Ao voltar, fez uma reunião familiar com 30 pessoas e, no dia seguinte, por estar febril e com tosse, apresentou-se a uma unidade de saúde.

Todos os que tiveram contato com o homem, inclusive quatro pessoas que viajaram ao seu redor no avião, estão sendo acompanhadas e constantemente contactadas pelas autoridades de saúde. 

As informações mais recentes apontam que nenhuma delas apresenta sintomas. Três pessoas da família estavam entre casos de suspeita de infecção, porém o coronavírus foi descartado.

Dos 85 casos de suspeita informados na quinta, 15 foram descartados por exames laboratoriais, 22 por falta de critérios e 18 foram incluídos nesta sexta.

O empresário infectado está em isolamento em sua própria casa. Sua esposa, que também reside no local, ocupa outro cômodo da casa para evitar o contato constante. Além do isolamento, o homem mantém uma máscara no rosto, lava suas roupas separadamente e tem um lixo separado.

Na quinta, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o governador de São Paulo, João Doria, anunciaram o adiantamento da campanha de vacinação contra a gripe.

A intenção não é a proteção contra o novo coronavírus, considerando que ainda não há vacina contra ele, mas excluir os outros vírus influenza de uma possível situação de contaminação mais ampla da população.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.