São Paulo tem 1ª suspeita concreta de coronavírus, e paciente aguarda contraprova

Resultado sai no início da tarde desta quarta (26); Homem de 61 anos voltou ao Brasil na sexta (21) do norte da Itália, região com vários casos

Brasília e São Paulo

O Ministério da Saúde informou, na noite desta terça (25), que investiga um caso suspeito de coronavírus em São Paulo cujo primeiro teste deu positivo. 

Em conjunto com as secretarias estadual e municipal de Saúde de São Paulo, a pasta aguarda agora o resultado da contraprova do laboratório de referência, que deve ser anunciado nesta quarta (26), no início da tarde.

Trata-se da suspeita mais concreta até o momento no Brasil. Segundo o ministério, o paciente é um homem de 61 anos, morador de São Paulo, que esteve na Itália, na região da Lombardia, no norte do país, no período de 9 a 21 de fevereiro. O homem viajava sozinho, a trabalho.

Passageiros usam máscaras devido ao coronavírus no Aeroporto Internacional de Guarulhos
Passageiros usam máscaras devido ao coronavírus no Aeroporto Internacional de Guarulhos - REUTERS

"Iniciou com sinais e sintomas (febre, tosse seca, dor de garganta e coriza) compatíveis com a suspeita de doença pelo coronavírus 2019 (covid-19). O paciente está bem, com sinais brandos e recebeu as orientações de precaução padrão", informou o Ministério da Saúde em nota.

As secretarias estadual e municipal de Saúde, de acordo com o texto, "estão realizando a identificação dos contatos no domicílio, hospital e voo [da Itália para o Brasil], com apoio da Anvisa junto à companhia aérea".

Para o virologista Maurício Nogueira, professor da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto), o caso aumenta o nível de alerta. "Agora é hora de se prepara ainda mais para detectar rapidamente os casos, fazer o diagnóstico precoce e estabelecer as medidas de contenção necessárias", diz.

Para ele, ações como controlar as fronteiras são ineficientes e não impedem o espalhamento da doença. Pode ser preciso adiar ou impedir grandes aglomerações, como jogos de futebol com torcida e feiras de negócios.

Mesmo com o possível novo caso, é preciso aguardar para ver se ocorre uma transmissão sustentada no país, diz Nogueira. O prospecto não é bom, já que isso vem acontecendo em países como Coreia do Sul, Irã e, agora, Itália.

Segundo o Hospital Israelita Albert Einstein, o paciente foi atendido na segunda (24), e a Vigilância Epidemiológica estadual foi notificada nesta terça (25). “O paciente encontra-se em bom estado clínico e sem necessidade de internação, permanecendo em isolamento respiratório que será mantido durante os próximos 14 dias”, afirma o hospital em nota. O homem está em casa.

No atendimento, o hospital relata ter adotado todas as medidas preventivas para transmissão por gotículas, coletou amostras e realizou testes para vírus respiratórios comuns e o exame específico para Sars-CoV2 (RT-PCR, pelo protocolo Charité), conforme preconizado pela OMS (Organização Mundial de Saúde). 

Ainda segundo o ministério, com os resultados preliminares e seguindo o Plano de Contingência Nacional, o hospital enviou a amostra para o laboratório de referência nacional, Instituto Adolfo Lutz, para contraprova.

"Este processo de validação dos resultados está em curso e o Ministério da Saúde divulgará o laudo final da investigação oportunamente."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.