Descrição de chapéu Coronavírus

Doria anuncia fechamento de parques, Detran e Poupatempo

Em decreto, governador também institui estado de calamidade pública em SP

São Paulo

O governador João Doria (PSDB) e o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anunciaram nesta sexta-feira decreto de calamidade pública e fechamento de parques, Detran e Poupatempo.

A medida permite que os gastos possam ser elevados acima dos limites legais.

Doria afirmou que suspenderá as atividades de serviços públicos não essenciais entre 21 de março e 30 de abril. Os dois principais são o Poupatempo e Detran.

"O atendimento à população vai prosseguir, serão feitos a partir de serviços online, email e telefone. As pessoas não devem ficar preocupadas. O atendimento não será interrompido, deixará apenas de ser presencial", disse.

De acordo com a assessoria de imprensa do Poupatempo, hoje a maioria dos serviços podem ser feita online. No entanto, serviços presenciais como fazer a primeira via do RG e renovar a CNH ficarão suspensos por enquanto.

"Os agendamentos no Poupatempo realizados até hoje, 20/03, estão mantidos, os demais cancelados automaticamente", afirma assessoria do Poupatempo. "Para compensar, a população já tem mais de 40 serviços digitais que podem ser realizados por meio do portal www.poupatempo.sp.gov.br, sem sair de casa, com a mesma qualidade, totalmente online, pelo computador ou celular".

No site, é possível, por exemplo, pedir segunda via de RG ou CNH e também retirar atestado de antecedentes criminais, declaração de extravios de documentos, serviços na área da Educação, Sabesp, CDHU e de algumas administrações municipais, entre outros.

A partir deste sábado, serão fechados 102 parques estaduais. Zoológico, Safari e equipamentos esportivos, como o complexo do Ibirapuera, também serão fechados.

A prefeitura de São Paulo já havia decretado o fechamento de parques, além da maioria dos estabelecimentos que não fornecem produtos essenciais à população.

Covas disse que a partir desta sexta já houve ações de fiscalização sobre comércios, incluindo apoio policial. Doria afirmou que, se preciso, a polícia será usada para este tipo de fiscalização.

CRÍTICAS

Doria afirmou que os governadores do país estão fazendo o que o presidente Jair Bolsonaro não está fazendo no combate ao coronavírus.

"Nós estamos fazendo aquilo que ele não faz: liderar o processo, a luta contra o coronavírus, estabelecer informações claras, não minimizar processos, compreender a importância de respaldo da informação científica, da área da medicina", disse Doria.

Bolsonaro criticou os governadores por tomar atitudes que não seriam da competência deles. “Tem certos governadores que estão tomando medidas extremas que não competem a eles, como fechar aeroportos, rodovias, shoppings e feiras”.

Doria disse que os governadores se reunirão no dia 23 para discutir medidas conjuntas. Segundo o tucano, Bolsonaro "quando faz, faz errado".

Doria tem tentado se postar de maneira contrária a Bolsonaro, elogiando a imprensa e pesquisas científicas.

Antes disso, durante abertura de coletiva para anunciar medidas contra o coronavírus, Doria também fez menção à confusão incluindo Eduardo Bolsonaro e a Embaixada da China. O deputado criticou o país e tem recebido respostas duras da representação diplomática daquele país.

Doria manifestou solidariedade à China. "Não é justo que quem quer que seja, brasileiro ou não, possa fazer qualquer tipo de acusação à China", disse.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.