Descrição de chapéu Coronavírus

Inspirada na Coreia do Sul, Florianópolis fará testes em massa para barrar coronavírus

Prefeito calcula que testará 20% dos cerca de 1 milhão de habitantes da capital e cidades vizinhas

Porto Alegre

Uma das primeiras cidades a decretar medidas de distanciamento social, Florianópolis fará testes em larga escala para barrar a proliferação da Covid-19.

As prefeituras da capital catarinense e de outras três cidades próximas —Biguaçu, Palhoça e São José—comprarão os testes com recursos próprios.

Os testes em massa são uma das ações adotadas pela Coreia do Sul, país que conseguiu achatar a curva do novo coronavírus sem impor restrições severas às atividades comerciais e à circulação de pessoas.

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), diz que a ação é baseada não apenas nos resultados da Coreia do Sul mas também na literatura científica sobre o tema.

As compras de cerca de 200 mil testes devem ser finalizadas, possivelmente, na próxima segunda-feira (30), com entrega até o dia 6 de abril. O valor deve superar R$ 15 milhões.

“Não vai ser um teste em toda população. Padronizamos critérios para estabelecer os casos suspeitos. Todos os suspeitos serão testados e, quando confirmados, serão isolados e vamos refazer o roteiro dele na última semana e todos que tiveram contato serão testados também”, explicou Loureiro à Folha.

“Estimamos que, se testarmos 20% da população [de 1 milhão de habitantes das quatro cidades], 5% serão isolados. Conseguimos operacionalizar isso e liberar o restante para suas atividades, com todos os cuidados necessários”, calcula o prefeito.

Loureiro explica que testar todos suspeitos é uma forma de preparar a cidade com mais segurança para as futuras flexibilizações do decreto do governador Carlos Moisés (PSL), que fechou comércio e transporte, entre outras medidas.

Moisés tem dito em seus pronunciamentos que planeja retomar a atividade econômica de forma gradual, o que fará com que muitos voltem a circular pelas cidades.

A postura de retomada, porém, não significa um alinhamento com o presidente Jair Bolsonaro, que vem criticando os governadores e as medidas de isolamento. Moisés se disse “estarrecido” com o pronunciamento de Bolsonaro.

“O que foi distribuído [pelo governo federal] não é suficiente, a gente quer fazer em grande quantidade”, diz o prefeito.

​A Coreia do Sul já testou mais de 270 mil pessoas. Aqueles com resultado positivo ficam em isolamento. O país tem conseguido detectar a maioria dos infectados e, assim, essas pessoas permanecem isoladas, sem disseminar o vírus.

A Coreia do Sul tem 9.137 casos confirmados e 126 mortes, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O número de mortes é considerado baixo, quando comparado com países como a Itália, com mais de 7.000 mortos. No Brasil, já são 77 mortes.

A prefeitura de Florianópolis também tomou medidas sociais para ajudar a minimizar o impacto do isolamento. Todas as famílias que têm filhos matriculados nas escolas públicas do município receberão um “cartão merenda” para compensar a falta das refeições das crianças nas escolas, que estão fechadas.

Além disso, há um “cartão refeição” de R$ 100 mensais para 2,000 famílias vulneráveis. Com esse valor poderão ser comprados produtos de higiene.

Para microempreendedores, a prefeitura lançou uma linha de crédito de juro zero. Por exemplo, caso um empréstimo de R$ 3.000 seja tomado, ele deve ser pago em dez parcelas de R$ 300. A prefeitura arcará com os juros, explica Loureiro.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.