Descrição de chapéu Coronavírus

Itália registra 793 mortes por coronavírus em 24 horas e bate novo recorde

No mundo inteiro, número de óbitos passou de 12 mil; mortes na Espanha tiveram alta de 32%

Roma e Bruxelas | AFP

A Itália registrou, neste sábado, um novo recorde de mortes em 24 horas, com 793 óbitos. O número total de mortes no país subiu para 4.825 pela pandemia de coronavírus na península em um mês, segundo dados da Proteção Civil.

As autoridades italianas anunciaram 6.557 novos casos positivos da infecção, outro recorde preocupante.

A região de Milão, Lombardia (norte), onde os serviços de saúde estão sobrecarregados, registrou a grande maioria das mortes (546) e metade dos novos casos.

As autoridades pediram ao chefe de governo Giuseppe Conte que tome medidas mais coercitivas e imponha novas restrições mais severas que a proibição de reuniões e as restrições aos movimentos em vigor desde 10 de março.

"Chegou a hora de parar, mas realmente", escrevem o prefeito de Bérgamo, Giorgio Gori, e o presidente da província, Gianfranco Gafforelli, em uma carta ao primeiro-ministro.

"A situação em toda a região da Lombardia está assumindo o ar de tragédia e isso é ainda mais evidente, infelizmente, em nossa província de Bergamo, onde vemos muitos homens e mulheres morrendo todos os dias (...) sem podermos nem mesmo dizer um adeus", escreveram as autoridades.

"Dados os números que todos conhecem, não é concebível que ainda hoje apostem no bom senso dos cidadãos chamados a respeitar as regras sujeitas às mais diversas interpretações. Os movimentos no território ainda são muito numerosos e muitos constituem um vetor para esse vírus."

Paolo Grimoldi, deputado da Lombardia (Liga, extrema direita), também pediu que "o governo intervenha imediatamente (...) para paralisar tudo na Lombardia".

Na quinta-feira (19), o vice-presidente da Cruz Vermelha chinesa, Sun Shuopeng, julgou que as medidas tomadas na Itália "não são suficientemente restritivas".

"Precisamos interromper toda a atividade econômica. Todo mundo precisa ficar em casa", disse.

A Espanha registrou uma alta de 32% no número de mortos por causa do coronavírus em 24 horas, passando para 1.326 vítimas.

O número de casos aumentou 25%, de 19.980 para 24.980, dos quais 1.612 estão em estado crítico, em unidades de tratamento intensivo.

Madri é a região mais afetada, com 8.921 casos confirmados e 804 mortes, ou 60% dos casos fatais. A cidade transformou quartos de hotéis em UTIs nos últimos dias, mas, ainda assim, não tem conseguido tratar todos os casos.

Na manhã de sábado (21), a Espanha era o terceiro país do mundo com maior número de casos, atrás de China e Itália, e o quarto em número de mortes, atrás de Itália, China e Irã.

A pandemia de coronavírus já matou mais de 12.000 pessoas em todo o mundo, de acordo com um balanço da AFP estabelecido com base em dados oficiais neste sábado às 14h10.

No total, 12.592 pessoas morreram, a maioria na Europa (7.199) e na Ásia (3.459).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.