Descrição de chapéu RFI Coronavírus

Italianos cantam das janelas e criam concerto nacional para enfrentar quarentena do coronavírus

Convocados pelas redes sociais, italianos têm driblado as restrições impostas por pandemia com música

RFI

Sem poder se reunir em bares, restaurantes ou para assistir aos jogos de futebol, os italianos foram para suas varandas cantar e tocar música para animar a vizinhança no quarto dia de quarentena nacional por conta do coronavírus.

Com 13 mil pessoas contaminadas no país, hospitais lotados e um balanço de mortes que já passou de mil e não para de crescer, a Itália é o país mais atingido da Europa, o novo epicentro da epidemia, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Para reagir a esse cenário desolador e dar forças aos compatriotas, os italianos foram chamados nas redes sociais a tocarem música pelas janelas às 18h desta sexta-feira (13) a fim de que "durante alguns minutos o país fosse um imenso concerto".

Nos últimos dias, já eram compartilhados nas redes sociais vídeos em algumas cidades com pessoas cantando de suas varandas, retomando a ação dos chineses que gritavam mensagens de apoio de suas janelas durante a quarentena na China.

Com o chamado, as redes sociais foram tomadas nesta sexta por uma enxurrada de vídeos musicais com as hashtags #tuttoandrabene (Tudo vai ficar bem) e #iorestoacasa (Eu fico em casa). Diversa, a "playlist" tinha pessoas tocando o hino italiano, Fratelli d'Italia, a tradicional tarantela e até mesmo rocks ingleses.

Em sua conta no Instagram, o cantor Andrea Sannino postou uma compilação de napolitanos cantando de sua janela sua canção Abbracciame ("Beije me"), agradecendo: "Um dia, vou contar isso para meus filhos e netos." "Obrigado por me fazer chorar aos soluços."

Diante do sucesso, um novo "concerto" já foi marcado. Neste sábado, no mesmo horário, os italianos são chamados a voltarem a suas janelas.

Enquanto o país enfrenta a crise com todo o comércio não essencial fechado e eventos esportivos e culturais suspensos, artistas prometeram concertos virtuais para este período duro. Alguns museus, como o Uffizi em Florença ou o Guggenheim em Veneza, colocaram sua coleção à visitação on-line.

Com AFP

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.