Descrição de chapéu Coronavírus

Médica que prometia soro contra novo coronavírus é investigada pelo Cremesp

Isabella Abdalla afirma não havia promessa de cura, prevenção ou tratamento contra o vírus

São Paulo

Uma médica de Ribeirão Preto (SP) está sendo investigada pelo Cremesp (Conselho Regional de Medicina) por propagandear o uso de um "soro de imunidade" contra o novo coronavírus.

No mês passado, a Folha revelou que práticas semelhantes, sem embasamento científico e que podem causar danos aos pacientes, estavam sendo adotadas por profissionais médicos. As ofertas iam de "shots" de vitaminas a ozonioterapia.

Em vídeo postado em suas redes sociais, a médica Isabella Abdalla mostra gestantes recebendo o suposto soro de imunidade. Segundo ela, o produto continha vitaminas e substâncias antioxidantes.

"Gente, essa turma minha de gestante está uma mais maravilhosa que a outra. Todo mundo tomando soro para imunidade, né? Ficar imune do corona", diz ela, enquanto mostra imagens de duas grávidas recebendo o soro.

Em outro vídeo, Isabella afirma que as pessoas "estão desesperadas" com a Covid-19 e que os pacientes dela estão procurando muito o soro para imunidade.

Em nota, o Cremesp diz que a sindicância que vai apurar as eventuais infrações éticas cometidas pela médica vai correr em sigilo.

No domingo, Abdalla, que tinha saído das redes sociais, voltou a publicar um vídeo de esclarecimento.

Ela diz que que nunca disse que o soro de imunidade poderia curar, prevenir ou tratar o novo coronavírus e que corrobora com a nota divulgada pela Sociedade Brasileira de Nutrologia de que não há evidência científica para o tratamento.

"Ele nada mais é que um conjunto de vitaminas e antioxidantes que pode melhorar o seu sistema imunológico."

Não há evidências de que esse tipo de produto melhore o sistema imunológico, segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.