Descrição de chapéu Coronavírus

Rio de Janeiro e SP têm circulação local do coronavírus; casos sobem para 98

Capitais dos dois estados têm infecções cujas origens não podem ser rastreadas

Brasília

Um balanço do Ministério da Saúde mostra que subiu para 98 o número de casos confirmados do novo coronavírus​ Sars-CoV-2 no Brasil. Até esta quinta (12), eram 77 casos.

Segundo o ministério, também já há registro de transmissão sustentada do vírus em duas capitais: São Paulo e Rio de Janeiro. O termo é usado quando há confirmação de casos em que não é possível identificar a trajetória da infecção, o que indicaria que já há uma circulação local do vírus.

Com a atualização dos números, já são 13 estados com casos confirmados. O maior número ocorre em São Paulo, com 56 registros.

Em seguida, estão Rio de Janeiro (16), Paraná (6), Rio Grande do Sul (4), Goiás (3), Santa Catarina (2), Bahia (2), Minas Gerais (2), Pernambuco (2), Espírito Santo (1), Alagoas (1), Rio Grande do Norte (1) e Distrito Federal (2).

Do total de casos confirmados, 79 são importados, ou seja, de pessoas que viajaram a outros países.

Outros 15 são de transmissão local, quando a infecção ocorre em paciente que teve contato com caso confirmado –ou seja, ainda é possível saber a origem do contágio.

Um terceiro patamar, chamado de transmissão sustentada ou comunitária, já é percebido em quatro casos, sendo dois na cidade do Rio de Janeiro e dois em São Paulo.

Segundo Oliveira, são casos em que não foi possível identificar a origem da infecção, ou seja, não havia histórico de viagem ao exterior nem contato com outros casos já confirmados.

A confirmação dessa forma de transmissão desobriga os municípios de monitorar todos os casos, informa o ministério. Com isso, poderiam ser testados apenas os casos graves, de pacientes internados com pneumonia, por exemplo. Gestores têm autonomia para essa decisão.

Para o secretário, ainda não é possível saber o quanto o vírus está disseminado nestes locais.

“Localmente, há circulação. Mas não podemos precisar se é na cidade inteira, num bairro ou no estado. Isso tudo será objeto das cenas dos próximos capítulos”, afirmou.

Ele diz que a classificação de transmissão sustentada ainda poderá ser alterada caso se verifique vínculo entre os casos nos próximos dias. A mudança, porém, é tida como pouco provável, já que análises já feitas não identificaram a origem.

Ainda segundo o ministério, o número de casos no país pode ser maior, já que mais estados podem ainda atualizar registros no sistema. Só no Hospital Israelita Albert Einstein foram confirmados 98 casos (nem todos já notificados pelo ministério).

A pasta diz não ter informações sobre a atualização dos dados do hospital.

Mais cedo, o ministério soltou um conjunto de recomendações na tentativa de diminuir a transmissão do novo coronavírus. Entre elas, está que pessoas que vierem de outros países fiquem em isolamento em casa por sete dias, mesmo sem sintomas do Covid-19.

Caso apresentarem febre e outros sintomas de alerta, como tosse ou falta de ar, a orientação é que procurem uma unidade de saúde.

Outra recomendação é que organizadores adiem ou cancelem grandes eventos e que cruzeiros tenham viagens suspensas.

Há também recomendações específicas para cidades com transmissão sustentada ou comunitária, como avaliar antecipar férias escolares.

12 PACIENTES ESTÃO NO HOSPITAL, DIZ MINISTÉRIO

Atualmente, entre os casos já confirmados, 48 têm abaixo de 40 anos, 35 entre 40 e 59 anos e 15 acima de 60 anos, faixa etária considerada de maior risco para complicações e mortes pelo novo coronavírus.

Ao menos 12 pacientes estão hospitalizados —não há dados da faixa etária desse grupo. Os demais estão em isolamento domiciliar.

Balanço do ministério aponta ainda que ao menos 1.485 pacientes atendidos na rede de saúde aguardam resultado de exames.

Entram nessa lista pacientes que tiveram febre e outros sintomas respiratórios e histórico de viagens internacionais ou contato com casos suspeitos ou confirmados.

Outros 1.344 tiveram o diagnóstico descartado para o Covid-19.

Nos últimos dias, representantes do ministério chegaram a informar que, caso alguma cidade confirmasse registro de transmissão sustentada, a pasta poderia alterar o critério para incluir viagens nacionais.

A medida, porém, foi descartada em análise na noite desta quinta (12). A avaliação é que a mudança complicaria a análise pela rede de saúde.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.