Vídeo antigo de Drauzio sobre coronavírus circula nas redes como se fosse atual

Twitter apagou posts de Flávio Bolsonaro e Ricardo Salles com cena descontextualizada

São Paulo

Em janeiro deste ano, o médico Drauzio Varella, colunista da Folha, gravou um vídeo em que tecia comentários sobre aquele momento da crise do coronavírus, quando ainda não existiam casos de contaminação no Brasil. Nas cenas de janeiro, o profissional dizia que estava levando a vida normalmente e que não havia motivo para pânico.

Em dois meses, o cenário, no Brasil e no mundo, mudou drasticamente. O profissional, nesse tempo, sempre informou a população sobre a evolução dos casos e dos cuidados necessários.

Nos últimos dias, no entanto, esse mesmo vídeo de janeiro passou a circular nas redes sociais como se fosse uma recomendação atual do médico.

Autoridades como o ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) e o senador Flávio Bolsonaro compartilharam a imagem, sem acrescentar nenhum contexto, levando seus seguidores a acreditarem que Varella estava comentando a situação atual da crise no país, com mais de 1.800 casos confirmados e 34 mortos. Atualmente, a recomendação é para ficar em casa e evitar contatos diretos com pessoas.

O Twitter removeu as duas publicações por considerar que mensagens podiam colocar as pessoas em maior risco de transmitir o vírus.

O médico Drauzio Varella gravou vídeo no dia 10 de março sobre o caso da trans Suzy
O médico Drauzio Varella gravou vídeo no dia 10 de março sobre o caso da trans Suzy - Reprodução/YouTube

​Bolsonaristas têm atacado Drauzio Varella nas redes desde o episódio com a trans Suzy, quando reportagem no fantástico com o médico mostrou rotina da detenta sem revelar que havia sido condena por estupro e morte de criança.

Confira nota completa do Portal Drauzio Varella:

O Portal Drauzio Varella vem acompanhando a pandemia de covid-19 desde seu início, em janeiro de 2020. Nossa equipe, incluindo o dr. Drauzio Varella, tem feito uma série de matérias e vídeos sobre o tema.

No início deste ano, a pandemia não havia chegado ao Brasil, portanto produzimos conteúdo para acalmar a população que, à época, não tinha motivos para alterar o ritmo de vida diário (o vídeo antigo que circula data de 30/01, quando a Itália tinha somente dois casos confirmados).

A situação mudou drasticamente. E vai continuar mudando, pois a pandemia é dinâmica. Orientações antigas não servem para este momento.

Diante do cenário atual, retiramos o material antigo do site e das nossas redes e colocamos informações atualizadas. Por prováveis interesses políticos, algumas autoridades oficiais estão usando esse conteúdo sem informar que se trata de material antigo, cujas recomendações não valem mais.

A situação pela qual o país passa é grave. Estamos prestes a enfrentar um enorme aumento do número de casos de covid-19, que pode por em risco a vida de muitos brasileiros.

Nosso sistema de saúde não tem condições de absorver uma grande quantidade de pacientes ao mesmo tempo, portanto é importantíssimo seguir não só as recomendações das autoridades em saúde, como o isolamento social.

Fique atento às novas recomendações e não divulgue material antigo ou de fontes não confiáveis.

Vale também reforçar aos mal intencionados que estão relacionando a recomendação de não entrar em pânico com orientações que minimizam a necessidade de quarentena: Não entrar em pânico é uma recomendação geral para enfrentarmos a pandemia de covid-19 tomando decisões conscientes. Nos locais em que há recomendação de entrar em quarentena, é preciso entrar, sim. Entrar em isolamento social sem entrar em pânico.

Não é hora de fazer uso político dessa situação. É momento de unirmos esforços para evitar o caos no sistema de saúde e a morte de brasileiros.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.