Cofundador do Twitter anuncia doação de US$ 1 bi para ajudar no combate ao coronavírus

Segundo Jack Dorsey, a quantia representa 28% de sua riqueza pessoal

São Paulo

O empresário norte-americano Jack Dorsey, 43, cofundador do Twitter, prometeu doar uma quantia US$ 1 bilhão (R$ 5,2 bilhões) em ações para auxiliar no combate ao novo coronavírus nos Estados Unidos. Ele fez o anúncio nesta terça-feira (7) em sua conta na plataforma digital.

Segundo Dorsey, a quantia representa 28% de sua fortuna pessoal. "As necessidades estão cada vez mais urgentes", postou o CEO do Twitter.

O CEO do Twitter, Jack Dorsey - Charles Platiau 15.mai.2019/Reuters

A doação foi feita por meio de 19,833,400 ações da Square, empresa da qual ele também é fundador.

O empresário não informou quais fundos irão receber a doação. ​Nesta terça, os Estados Unidos registraram 1.700 mortes em decorrência do coronavírus no país e alcançaram o maior número de vítimas em um único dia desde o início da pandemia.

O país tem mais de 382 mil casos confirmados e 12 mil óbitos em decorrência da Covid-19. Na semana passada, o governo americano apresentou projeções que indicavam que 100 mil a 240 mil pessoas morreriam nos EUA mesmo se adotadas as medidas de distanciamento social, que estão em vigor no país pelo menos até o dia 30 de abril.

Dorsey também é cofundador e CEO da Square, um aplicativo de pagamentos pelo celular. Atualmente é o CEO do Twitter e da Square.

Antes de Dorsey, outros empresários do ramo da tecnologia anunciaram suas doações. Jeff Bezos, da Amazon, transferiu US$ 100 milhões (R$ 522 milhões) a bancos de alimentos dos EUA, e Mark Zuckerberg, do Facebook, doou US$ 30 milhões (R$ 156 milhões).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.