Descrição de chapéu Coronavírus

Em um dia, mortes por Covid-19 aumentam 18,5% no estado de São Paulo

Alta se deveria à atualização mais lenta do sistema de vigilância epidemiológica estadual durante o feriado de terça (21)

São Paulo

Em 24 horas, o número de mortes por Covid-19 aumentou 18,5% no estado de SP em relação ao dia anterior. Foram confirmados 826 novos casos e 211 novos óbitos nesta quinta-feira (23).

Os números totais chegaram a 1.345 óbitos e 16.740 casos —estes tiveram alta de 5%. Há mortes registradas em 114 municípios paulistas.

Segundo Paulo Menezes, coordenador da Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde de SP, o salto se explica pelo fato de que o sistema de vigilância epidemiológica, que envolve o estado, as vigilâncias de saúde dos municípios e os cartórios, funcionou de forma mais lenta no feriado de Tiradentes, na terça (21).

"É o momento de eu colocar para os municípios a importância da agilidade na notificação dos casos para que o sistema estadual seja alimentado adequadamente e não tenha discrepância nos números", afirma Menezes.

A maior incidência da doença está na faixa entre 30 e 39 anos, com 4.385 casos. O número de mortes é maior em idosos acima de 60 anos, com prevalência da faixa entre 70 e 79 anos (350), principalmente com comorbidades como cardiopatias e diabetes.

"Os jovens e adultos jovens, embora tenham menor ocorrência de casos e óbitos, são transmissores do vírus quando infectados, e nessas faixas etárias podem ocorrer casos graves", lembra Menezes.

Equipe médica do Instituto de Infectologia Emílio Ribas se prepara para traqueostomia em paciente com coronavírus
Equipe médica do Instituto de Infectologia Emílio Ribas se prepara para traqueostomia em paciente com coronavírus - Eduardo Anizelli - 16.abr.2020/Folhapress

"Se não mantivermos a taxa de isolamento acima de 50%, esses números terão percentual de crescimento com dois dígitos, 10%, 20% ao dia, e o sistema de saúde não dará conta do enfrentamento da pandemia", disse o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann, durante entrevista à imprensa no início da tarde desta quinta.

O estado de São Paulo tem hoje 1.483 pacientes com diagnóstico confirmado para Covid-19 internados em enfermarias e 1.374 em leitos de UTI. Outros 2.713 com suspeita de infecção pelo novo coronavírus permanecem em enfermarias, e 1.433, na UTI.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI por Covid-19 está em 55,3% no estado, 74% na Grande SP e 70% na capital paulista.

​A UTI do Instituto Emílio Ribas está perto da capacidade total, com 96% de ocupação. Na enfermaria, a ocupação é de 64%. A unidade abrirá mais 20 leitos de UTI para Covid-19, sendo 10 nesta sexta-feira e os demais em uma semana, totalizando 50 leitos.

"À medida que observamos um número crescente de leitos, precisamos garantir que a velocidade de aparecimento de novos casos precisando de terapia intensiva diminua. Governo e prefeitura estão fazendo a sua parte. Precisamos que a estratégia também seja abraçada pela população. Queremos dar uma notícia melhor, que é a não necessidade de mais leitos", diz Luiz Carlos Pereira Júnior, diretor do Instituto Emílio Ribas.

Hoje, metade dos leitos de UTI no hospital, todos eles destinados à Covid-19, são ocupados com pacientes abaixo de 60 anos.

No Hospital das Clínicas, a taxa de ocupação da UTI é de 93,5% e 69% na enfermaria. Os demais hospitais observados são o Hospital Geral de Carapicuíba (89% na UTI e 64% na enfermaria), Hospital Regional de Cotia (78% na UTI e 46% na enfermaria) e Hospital Estadual Mário Covas de Santo André (89% na UTI e 43% na enfermaria)

A exemplo da capital paulista, o governo do estado publicará no Diário Oficial desta sexta-feira (24) a recomendação para o uso de máscaras; mas as autoridades de saúde afirmam que a medida mais eficaz contra a Covid-19 é o isolamento social.

Na cidade de São Paulo, a taxa de isolamento registrada no dia 22 de abril foi de 48%, bem abaixo do que o governo considera aceitável, em torno de 60%, e do visto como ideal, 70%.

"Se não tivermos taxa superior a 50%, poderemos rever a decisão da etapa que sucede a atual quarentena, que vai até 10 de maio", afirmou o governador João Doria.

A capital paulista tem 11.025 casos da doença, com 1.124 mortes.​ O novo coronavírus já se espalhou por todas as regiões e bairros da cidade de São Paulo.

Brasilândia (zona norte), Sapopemba (zona leste), e Capela do Socorro (zona sul) têm o maior número de casos e óbitos, segundo o prefeito Bruno Covas.

"O pior ainda está por vir. A história da cidade de Guayaquil [no Equador] deve servir como exemplo para aprendermos com o risco que todos corremos", afirma Covas.

Guayaquil, onde o sistema de saúde colapsou diante da Covid-19 e não havia onde manter os corpos dos mortos pela doença, é o ponto central da nova campanha promovida pela Prefeitura a partir desta quinta-feira. O institucional ressalta a importância da quarentena para controle da disseminação do coronavírus.

Nem todo infectado pelo coronavírus se torna um doente grave. As autoridades médicas do governo estadual afirmam que 80% dos contaminados não precisam de internação.

Com o objetivo de desafogar os hospitais, a Secretaria de Estado da Saúde ampliou os serviços de triagem para casos de Covid-19 com apoio de contêineres.

Cinco unidades estão em funcionamento e outras três serão implantadas, em maio, Hospital Geral de Guaianazes, no Hospital Regional de Osasco e no Hospital Padre Bento, em Guarulhos (Grande SP).

Os cinco hospitais que já estão realizando esquema especial de triagem fizeram mais de 3.800 atendimentos até o momento.

Os centros do Hospital Geral de Vila Penteado e do Conjunto Hospitalar Mandaqui, que já estão funcionando nos contêineres, realizaram, juntos, 1.127 atendimentos até 21 de abril.

No Instituto de Infectologia Emílio Ribas, no Hospital Ipiranga e no Hospital Geral de Guaianazes, a triagem especial para casos de Covid-19 está sendo realizada no próprio espaço hospitalar, durante os preparativos para ativação do serviço nos contêineres.

Tudo somado, as, as três unidades já fizeram 2.707 triagens —só no Emílio Ribas foram 1.304.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.