Descrição de chapéu Coronavírus

Estado de São Paulo registra 198 mortes por Covid-19 em 24 h

Estado soma 26.158 infectados e 2.247 óbitos; internações aumentam nos hospitais públicos

São Paulo

O estado de São Paulo registrou 198 óbitos por Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde. Na terça-feira, a pasta havia confirmado 224 mortes em 24 horas. São 2.247 óbitos no total no estado até agora, em 144 municípios.

São Paulo registra no total 26.158 casos de Covid-19 em 314 cidades.

Entre as vítimas estão 1.309 homens e 938 mulheres, prevalecendo pacientes com 60 anos ou mais (73,9%). A mortalidade é ainda maior na faixa entre 70 e 79 anos e entre os que apresentam algum fator de risco, como cardiopatias, diabetes e doenças renais, pulmonares e neurológicas.

Nesta quarta-feira (29) o estado de São Paulo registrou um aumento de 7,1 pontos percentuais na taxa de ocupação de leitos de UTI, que chegou a 68,7% —na terça-feira, o índice havia sido de 61,6%.

Nas enfermarias, a ocupação subiu de 44,5% para 47%. Na Grande SP, a situação é pior: 85,1% das UTIs estão lotadas, e nas enfermarias, a ocupação é de 75% —nesta terça-feira, a taxa de ocupação de leitos de UTI estava em 81% e de enfermaria 70%.

Enfermeira do Instituto de Infectologia Emílio Ribas observa paciente com Covid-19 na UTI
Enfermeira do Instituto de Infectologia Emílio Ribas observa paciente com Covid-19 na UTI - Eduardo Anizelli - 16.abr.2020/Folhapress

Segundo o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann, até o início da tarde desta quarta-feira 1.786 pacientes com Covid-19 estavam internados em leitos de UTI, 349 a mais que o dia anterior, quando eram 1.437. Em enfermarias, há hoje 1.917 —ontem havia 1.800.

Se for levada em consideração a soma das internações de casos suspeitos e confirmados de Covid-19, o número aumenta para 3.445 pacientes em UTIs e 5.175 em enfermarias.

O governador João Doria disse que não só São Paulo mas o Brasil inicia a fase mais dura e difícil da pandemia, e reiterou que não haverá flexibilização com o risco de colapso nos hospitais públicos e a taxa de isolamento social baixa —nesta terça, ela permaneceu em 48%.

"Os cenários que vêm sendo desenvolvidos estão mantidos. Aquilo que estávamos prevendo que pudesse acontecer está se confirmando, tanto do ponto de vista de novos infectados como de novas mortes. São cenários que foram desenhados em cima de modelos matemáticos e de curvas epidemiológicas. O estado não foi surpreendido. A doença é de imensa gravidade", disse David Uip, coordenador do Centro de Contingência de Coronavírus.

Os enfermeiros do Hospital de Campanha do ginásio do Ibirapuera fazem uma demonstração de atendimento emergencial a um paciente da Covid-19 durante a vista do governador, João Dória (PSDB), e do prefeito de São Paulo, Bruno Covas
Os enfermeiros do Hospital de Campanha do ginásio do Ibirapuera fazem uma demonstração de atendimento emergencial a um paciente da Covid-19 durante a vista do governador, João Dória (PSDB), e do prefeito de São Paulo, Bruno Covas - Adriano Vizoni - 29.abr.2020/Folhapress

O estado já ativou 1.881 leitos de UTI. Nesta sexta (1º), entrará em funcionamento o terceiro hospital de campanha, no Ibirapuera (zona sul), com 268 leitos, sendo 240 de baixa complexidade e 28 de estabilização. As três unidades de campanha juntas (Ibirapuera, Anhembi e Pacaembu) terão 2.268 leitos.

O Hospital de Campanha Ibirapuera será voltado ao atendimento exclusivo de casos menos graves de Covid-19.

No total, 800 profissionais vão atuar na unidade, incluindo 213 médicos, 444 profissionais de enfermagem, 33 fisioterapeutas, 14 farmacêuticos, 10 assistentes sociais, 8 nutricionistas, 5 psicólogos, 2 fonoaudiólogos, 52 profissionais de apoio técnico e 19 recepcionistas.

O prefeito Bruno Covas afirmou nesta quarta-feira que foram criados 3.567 leitos para pacientes de Covid-19 na capital paulista Desses, 1.337 são de UTI —563 já foram entregues— e 2.230 de enfermaria, dos quais 1.187 já foram disponibilizados.

"Se as pessoas relaxarem no isolamento, todo mundo vai ficar doente ao mesmo tempo, e mesmo com esse esforço não conseguiremos atender a população. A possibilidade de salvar vidas cai drasticamente", ressaltou Covas.

Em 25 dias, a prefeitura de São Paulo abrirá, na região do Capão Redondo (zona sul), o hospital Bom Caminho, que contará com 120 leitos de UTI.

Até dia 28 de abril, a capital paulista confirmou 15.925 casos de Covid-19 com 1.418 mortes. A taxa de ocupação dos leitos de UTI dos hospitais municipais está em 72%.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.