Descrição de chapéu Coronavírus

Agência reguladora dos EUA revoga uso emergencial da hidroxicloroquina para Covid-19

FDA disse que, diante das evidências já existentes, não é mais razoável acreditar na eficácia do remédio

Bengaluru | Reuters

A FDA (U.S. Food and Drug Administration, agência que regula medicamentos nos EUA) revogou a autorização de uso emergencial da hidroxicloroquina para tratar Covid-19.

A agência norte-americana disse que, com base nas novas evidências, não é mais razoável acreditar que a cloroquina e a hidroxicloroquina poderiam ser eficazes no tratamento da doença respiratória causada pelo novo coronavírus.

A medida foi tomada depois de diversos estudo apontarem a falta de eficácia dos medicamentos, incluindo um estudo clínico que mostrou que a droga não preveniu a infecção em pessoas expostas ao vírus.

Em 29 de março, a FDA permitiu que os medicamentos fossem distribuídos e prescritos pelos médicos para pacientes adolescentes e adultos hospitalizados com Covid-19, "de maneira apropriada, enquanto um ensaio clínico não está disponível ou é viável".

Vários cientistas, porém, incluindo Anthony Fauci, o principal especialista de doenças infecciosas do país, pediram à população que tivesse cautela até que os testes clínicos validem estudos mais minuciosos.

Os medicamentos são defendidos tanto pelo presidente americano Donald Trump como pelo brasileiro Jair Bolsonaro. Trump disse em março que os dois medicamentos poderiam ser um "presente de Deus", mas os cientistas alertaram para os perigos de exagerar os tratamentos que não foram comprovados.

Em maio, Trump revelou que estava tomando o remédio como forma de prevenção contra a Covid-19, apesar das advertências médicas sobre possíveis efeitos colaterais graves e da falta de comprovações de sua eficácia como barreira ao vírus.

No fim do mês passado, os EUA enviaram ao Brasil 2 milhões de doses de hidroxicloroquina para o tratamento da Covid-19. O fornecimento do medicamento foi anunciado pelos dois governos.

No Brasil, o uso da hidroxicloroquina foi ampliado no dia 20 de maio para pacientes com sintomas leves do novo coronavírus. Até então, a orientação era de uso apenas por pessoas com sintomas graves e críticos e com monitoramento em hospitais.

Segundo a Casa Branca, a hidroxicloroquina enviada ao Brasil será utilizada por enfermeiros, médicos e profissionais de saúde, além de pacientes infectados.

O governo de Donald Trump também se comprometeu a fazer uma parceria com o Brasil em testes clínicos controlados randomizados sobre a hidroxicloroquina. “Esses testes ajudarão em avaliações adicionais sobre a segurança e a eficácia [do medicamento] tanto para a profilaxia quanto para o tratamento precoce do coronavírus”, de acordo com o comunicado.

Além da hidroxicloroquina, os Estados Unidos disseram que enviarão em breve mil ventiladores mecânicos para unidades de saúde brasileiras.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.