Descrição de chapéu Coronavírus Textos liberados

Com 598 novas mortes por Covid-19, Brasil supera 43 mil óbitos, mostra consórcio de imprensa

Dados relacionados ao novo coronavírus costumam ser menores em finais de semana e feriados

São Paulo

O Brasil registrou, neste domingo (14), 598 novas mortes pelo novo coronavírus e 17.086 novos casos da doença. Ao todo, desde o início da pandemia, em fevereiro, o país já perdeu 43.389 vidas pela Covid-19 e soma 867.882 casos registrados oficialmente —especialistas afirmam haver subnotificação, porém.

Os dados sobre mortes e casos de Covid-19 são fruto de colaboração inédita entre Folha, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo, G1 e UOL para reunir e informar números sobre o novo coronavírus, que são coletados diretamente com as Secretarias de Saúde. O balanço é fechado diariamente às 20h.

Em feriados, como o ocorrido na semana passada, e em finais de semana os números de mortes registradas costumam ser menores, já que muitas equipes responsáveis pela notificação entram em plantão, com escala reduzida.

Além disso, o Rio Grande do Norte não apresentou os dados relativos ao estado e afirma que não divulga boletins aos domingos.

São Paulo concentra, em números gerais, a maior fatia das novas mortes e casos. Nas últimas 24h, foram registrados 113 novos óbitos pela Covid-19 e 5.327 casos. Ao todo, o estado soma 10.694 mortes e 178.202 casos da doença. Mesmo, desde o início do mês, a quarentena paulista tem sido relaxada pelo governador João Doria (PSDB).

O segundo estado com mais mortes registradas em 24h é o Rio de Janeiro (80, totalizando 7.672 mortos), seguido de perto por Pernambuco (71, totalizando 3.855).

Comparado a outros países, o Brasil passou, na sexta (12), o Reino Unido em número de mortos, o que o tornou o segundo país na triste lista, atrás apenas dos Estados Unidos. O Brasil também é o segundo em número casos, tendo à frente mais uma vez os EUA.

Na sua décima quinta semana de pandemia, o Brasil tem uma taxa de 19 mortos por 100 mil habitantes. Estados Unidos, que têm o maior número absoluto de mortos e está cinco semanas adiante na pandemia, e o Reino Unido, que ocupa a segunda posição e está em sua décima nona semana, têm 35,4 e 62,9 mortos para cada 100 mil habitantes, respectivamente.

Na Argentina, onde a pandemia desembarcou nove dias mais tarde que no Brasil e que seguiu uma quarentena muito mais rígida, o índice é de 1,8 morte por 100 mil habitantes.

Os dados do boletim diário do Ministério da Saúde apontaram 612 novas mortes pela Covid-19 e 17.110 novos casos, totalizando 43.332 óbitos e 867.624 casos da doença registrados. Os dados da pasta também costumam ser mais baixos em feriados e finais de semana.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.