Descrição de chapéu Ao Vivo em Casa

Diretor do Einstein discute vacinas e terapias contra coronavírus em live na Folha

Algumas vacinas já estão em fase de teste em humanos, mas ainda não há cura ou tratamento eficaz

São Paulo

O convidado desta quarta-feira (24) do Ao Vivo em Casa, série de lives da Folha, é Luiz Vicente Rizzo, diretor superintendente de pesquisa do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, em São Paulo. A mediação é de Cláudia Collucci, repórter especializada em saúde.

A transmissão ao vivo é feita no site da Folha e no canal do jornal no YouTube.

Luiz Vicente Rizzo, diretor-superintendente de pesquisa do Albert Einstein
Luiz Vicente Rizzo, diretor-superintendente de pesquisa do Albert Einstein - Núcleo de Imagem

O encontro vai discutir o estado atual das pesquisas com tratamentos e vacinas mais promissores contra o novo coronavírus.

Médico especialista em alergologia e imunologia, Rizzo fala sobre estudos feitos atualmente pelo Einstein. Entre eles estão pesquisas com plasma sanguíneo e com inibidores de interleucina-6 (uma molécula que sinaliza a ação do sistema de defesa do organismo).

Na live, o diretor explica pesquisas relativas aos efeitos do impacto social da pandemia, como o aumento da depressão e da ansiedade.

Ele também comenta sobre o núcleo especializado criado pelo instituto para analisar e divulgar informações científicas sobre o novo coronavírus, tanto para profissionais de saúde, quanto para o público em geral.

Em abril, Rizzo falou à Folha a respeito do embate envolvendo o uso da cloroquina e sobre a cautela necessária a pesquisas sobre medicamentos e terapias contra a nova doença.

“Vamos dar as nossas respostas cedo ou tarde. Não vamos fazer uma pesquisa a toque de caixa, com resultados dúbios para depois sermos cobrados de maneira que não condiz com a reputação do Einstein”, afirmou à época.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) interrompeu os estudos com o medicamento e não recomenda seu uso para o tratamento da Covid-19. O Ministério da Saúde brasileiro, no entanto, indica a droga para casos leves e graves e anunciou que vai ampliar a oferta para gestantes e crianças.

Nesta terça, o ministro da Saúde Eduardo Pazuello afirmou que o Brasil deve assinar um acordo para produção de três vacinas em fases avançadas de pesquisa.

Uma delas é estudada pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, e tem brasileiros voluntários na fase de testes em humanos.

Recentemente, corticoides como a dexametasona passaram a ser usados em hospitais do país em casos graves da doença, após estudo da mesma universidade indicar redução da mortalidade.

Ainda não há, porém, tratamentos ou vacinas comprovadamente eficazes e seguras contra a Covid-19.

A série Ao Vivo em Casa é transmitida no site da Folha e no canal do jornal no YouTube. Durante a semana, a programação tem entrevistas sobre temas variados que vão de política e economia a saúde e cultura.

Programação das lives

  • Segunda-feira

    Poder, Mundo, Mercado e Painel S.A.

  • Quarta-feira

    Saúde

  • Sexta-feira

    Ilustrada​ e Comida

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.