Descrição de chapéu Coronavírus

Candidata à vacina contra Covid-19 da Moderna entra em estágio avançado de testes

Pfizer também anunciou que começará estudo global para avaliar sua principal candidata à vacina

Reuters

A Moderna anunciou nesta segunda-feira (27) que começou, com apoio do governo dos Estados Unidos, o estudo em estágio avançado para avaliar sua candidata a vacina contra Covid-19 em cerca de 30 mil voluntários adultos saudáveis.

O teste, batizado de Cove, é o primeiro a ser implementado sob a operação montada pelo governo federal norte-americano que visa acelerar o desenvolvimento, fabricação e distribuição de tratamentos e vacinas contra a Covid-19. O governo está apoiando o projeto de vacina da Moderna com quase US$ 1 bilhão.

A empresa planeja vender a vacina a um preço de US$ 50 a US$ 60 por esquema completo de vacinação, um valor mais alto do que o acordado entre outras fabricantes, segundo o jornal Financial Times.

O preço seria aplicado aos EUA e outros países de alta renda. A empresa não comentou a informação.

Os coordenadores de um esquema de financiamento global de vacinas contra coronavírus estão analisando uma gama de preços em potencial para o produto, e o valor de US$ 40 por dose seria o número mais alto dessa faixa, afirmou um dos colíderes do projeto na segunda-seira.

Seth Berkley, executivo-chefe da aliança de vacinas Gavi e colíder da Covax (um mecanismo concebido para garantir um acesso mundial justo a vacinas contra Covid-19), disse que não tem uma meta de preço específica e que também tentará negociar uma escala de preços para países mais ricos e mais pobres.

A Covax é coliderada pela Gavi, pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Coalizão para as Inovações de Prontidão Epidêmica (Cepi) e foi criada para garantir um acesso global rápido e igualitário para vacinas contra Covid-19 assim que elas tiverem sido desenvolvidas.

Seu objetivo é garantir e distribuir suprimentos de 2 bilhões de doses em nações que se filiarem até o final de 2021. No início deste mês, a Gavi disse que mais de 75 países expressaram interesse em ingressar na Covax.

Berkley disse que a maioria das vacinas ainda se encontra em um estágio de testes tão precoce que é cedo demais para saber qual será o preço final. “A verdade é que ninguém tem ideia de qual será o preço, porque não temos ideia de qual vacina funcionará.”

Ele disse que as perguntas sobre qual tecnologia pode ser mais eficaz, se as vacinas serão de dose única ou dupla e qual pode ser a produção das instalações de fabricação ainda não têm resposta e que todas influenciarão o preço final da vacina.

Berkley disse que a Covax e vários outros mecanimos também estão incluindo um “bônus de velocidade” no custo das vacinas contra Covid-19 que incentiva as empresas a fabricarem milhões de doses às cegas, mesmo antes de saberem se suas candidatas a vacina funcionam. “Vemos isso como sendo 15% ou 20% do que o custo será”, disse.

Vacina da Pfizer

Outras vacinas contra a Covid-19 em desenvolvimento também iniciaram estudos avançados para verificar sua eficácia nesta semana.

A empresa alemã de biotecnologia BioNTech e a farmacêutica norte-americana Pfizer também anunciaram na segunda-feira (27) que começarão um estudo global para avaliar sua principal candidata à vacina para a Covid-19.

Se o estudo for bem-sucedido, as empresas poderão submeter a vacina à aprovação regulatória já em outubro, dando início a uma possível produção de até 100 milhões de doses até o final de 2020 e 1,3 bilhão até o final de 2021.

Cada paciente receberá duas doses da vacina —assim, as primeiras 100 milhões de doses vacinariam cerca de 50 milhões de pessoas.

O estudo deve incluir cerca de 120 locais por todo o mundo e poderia envolver até 30 mil participantes. Regiões muito afetadas pela Covid-19 devem participar.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deu aval aos testes da vacinas da Pfizer no Brasil na semana passada. A aprovação vale para as vacinas BNT162b1 e BNT162b2.

Com a nova autorização, já são três os estudos clínicos de vacina com aval para serem conduzidos no país. As outras duas imunizações testadas aqui são a desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca e a do laboratório chinês Sinovac.

“O início da fase 2/3 do estudo é um importante passo para frente no nosso progresso em direção a fornecer a potencial vacina para ajudar na luta contra a atual pandemia de Covid-19”, disse Kathrin Jansen, chefe de pesquisas e desenvolvimento de Vacinas na Pfizer.

A Pfizer já concordou em vender 100 milhões de doses de sua vacina ao governo dos Estados Unidos, oferecendo uma opção de compra de mais 500 milhões. A empresa também está em negociação com outros governos, inclusive com a União Europeia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.