Descrição de chapéu Coronavírus

Doria relaxa quarentena e só 17% de SP segue com restrições mais duras

Baixada Santista evolui para fase amarela, que permite abrir bares; regiões do interior foram a fase laranja

São Paulo

O governo João Doria (PSDB) anunciou nesta sexta-feira (10) a renovação da quarentena para conter a disseminação do novo coronavírus no estado de São Paulo até dia 30 de julho e a melhora da classificação do litoral e do interior, o que permite reduzir as medidas restritivas.

Agora, apenas 17% da população paulista está em regiões com restrição severa, aquelas onde podem abrir somente serviços fundamentais.

"Iniciamos uma nova fase na luta contra a pandemia, que marca gradualmente de forma segura o retorno à normalidade. Uma fase que resgata a nossa esperança", disse Doria em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. Ele voltou a dizer que vê o estado entrando no "platô" —um estágio em que o número de mortes permanece alto, mas estável, sem escalar..

O governo exaltou a melhora dos índices na maior parte do estado, após o vírus ter se espalhado para o interior. Embora o estado tivesse tendência de estabilização desde o início do mês, porém, nos últimos dias houve aumentos em alguns dos índices.

Com as mudanças, a Baixada Santista passou à fase amarela, assim como Registro e duas áreas da Grande SP (oste e leste). Agora, esses locais poderão também abrir bares e restaurantes.

A maioria das regiões do interior também está agora na fase laranja, quando é permitida a abertura de comércio de rua e shoppings. Com isso, é o maior relaxamento promovido desde o início da fase de flexibilização, em junho.

Ao todo, cinco regiões interioranas progrediram para a fase laranja, segunda na escala de gravidade: Sorocaba, Piracicaba, Presidente Prudente, Marília e Bauru.

Apenas quatro delas permanecem com as maiores restrições, na fase vermelha: Campinas, Ribeirão Preto, Franca e Araçatuba. Estas cinco regiões ou estão com níveis superiores a 80% de ocupação das UTIs ou tiverem fortes aumentos.

A capital paulista, também na classificação amarela, anunciou abertura de academias e parques na segunda.

Cerca de 50% da população do estado de São Paulo está na fase amarela, intermediária, segundo o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

Ele afirmou que 83% da população está nas fases amarela e laranja —portanto, apenas 17% na fase vermelha. Nenhuma região, ainda, está nas fases mais brandas, a verde (que prevê restrições de horário e de aglomerações) e azul (normalidade, desde que tomadas as devidas medidas de higiene e lotação).

"O nosso desafio é manter as regiões nessa etapa", disse a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

O estado atingiu nesta sexta 359.110 casos confirmados e 17.442 óbitos. A taxa de ocupação das UTIs no estado é de 65%. Na Grande São Paulo, é de 63,8%.

Doria listou alguns pontos que considerou como sinais de que São Paulo está avançando, como o menor índice de letalidade (4,9% dos casos confirmados) e queda no número de óbitos caíram por duas semanas seguidas.

Apesar do otimismo, entretanto, a média móvel de novas internações por coronavírus teve aumento nos últimos dias, que coincidem com a maior movimentação nas ruas. Esse índice chegou atingir 1.784 casos no dia 4. No dia 9, foi de 1.815. A variação é de 1,7%.

A média móvel de mortes também voltou a subir. No dia 2, ela foi de 227,43, e passou a 252, 43, o aumento é de 11%.

O governo afirmou que se preocupa com uma eventual segunda onda e que acompanha permanente os dados para eventuais ajustes de regras.

"Essa preocupação é mundial", disse Paulo Menezes, do comitê de contingência contra o coronavírus. "Vendo o progresso da epidemia no estado de São Paulo eu tenho bastante confiança de que nós estamos trabalhando para evitá-la."

A gestão também anunciou a reabertura dos parques estaduais e do Zoológico de São Paulo a partir de segunda (13), em horário limitado: de segunda a sexta, das 10h às 16h.

Reabrirão Água Branca, Villa-Lobos, Cândido Portinari, Ecológico do Tietê, Jardim Botânico, Safari, Cantareira e Jaraguá, além do zoológico. Áreas fechadas e bebedouros não poderão ser utilizados.

Os parques da Cantareira e Jaraguá funcionarão mediante agendamento, com 30% de suas capacidades. Já o zoológico e o Safari, com 50% da capacidade.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.