Descrição de chapéu Coronavírus

Espanha ordena o confinamento de 200 mil pessoas na Catalunha

País registrou 17 novas mortes causadas por coronavírus na sexta-feira (3), maior quantidade de vítimas desde 19 de junho

Bonn (Alemanha) | DW

O governo da Catalunha vai restringir circulação de pessoas na região de Lérida após dezenas de novos casos de Covid-19 serem detectados nas últimas 24 horas. A Espanha ordenou neste sábado (4) o confinamento de mais de 200 mil pessoas na Catalunha e monitora surtos de coronavírus em outras regiões.

Com pelo menos 28.385 mortes, a Espanha é um dos países mais afetados pela pandemia. Para as autoridades o contágio havia sido controlado após um confinamento rigoroso de toda a população por mais de mais de três meses e que chegou ao fim em 21 de junho.

No entanto, segundo o Ministério da Saúde, na sexta-feira (3) o país registrou 17 novas mortes por coronavírus em 24 horas, a maior quantidade diária desde 19 de junho.

Mais de 50 surtos em quase todo o país preocupam as autoridades. O presidente do governo da Catalunha (nordeste), Quim Torra, anunciou que uma área inteira em torno da cidade de Lérida, 150 quilômetros a oeste de Barcelona, seria isolada a partir do meio-dia deste sábado.

"Decidimos confinar a região do Segriá (na cidade de Lérida), com base em dados que confirmam um aumento bastante significativo do número de casos de Covid-19", disse à imprensa o dirigente, que falou em "uma decisão difícil" para dezenas de municípios afetados.

As entradas e saídas foram restringidas nesta região agrícola em plena colheita de frutas, enquanto muitas famílias começavam suas férias de verão.

O conselheiro regional de Saúde, Alba Vergés, informou que reuniões com mais de dez pessoas estão proibidas, assim como visitas a casas de repouso.

A província de Lérida registrou 4.030 novos casos de coronavírus na sexta, 60 a mais que na quinta (2). As autoridades regionais chegaram a habilitar um hospital de campanha para acomodar as pessoas com sintomas.

O governo de Madri, que foi o epicentro da doença no país, relatou cinco novos casos na sexta, todos registrados no mesmo ambiente de trabalho. Os funcionários estão em isolamento domiciliar.

Apenas duas semanas após a flexibilização das restrições que impediam os espanhóis de saírem das cidades, o retorno ao confinamento na Catalunha coincidiu com a reabertura das fronteiras para visitantes de 12 novos países.

A Espanha já havia admitido em 21 de junho a entrada no país de cidadãos da União Europeia e do espaço Schengen, assim como os britânicos.

Novas medidas foram adotadas nos aeroportos, onde equipes medem a temperatura e coletam dados pessoais dos passageiros.

Enquanto o governo tentava controlar os focos da doença, a Basílica da Sagrada Família em Barcelona foi reaberta. O local, que permaneceu fechado por mais de três meses, é um dos mais visitados da Espanha.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.