Descrição de chapéu Coronavírus

Incidência da Covid-19 na cidade de São Paulo chega a 11,1%

Alta taxa de prevalência em idosos preocupa prefeito Bruno Covas

São Paulo

A terceira etapa do inquérito sorológico na cidade de São Paulo revelou que 11,1% da população na capital já contraiu o coronavírus.

Os resultados da chamada fase 2 do inquérito foram divulgados nesta terça-feira (28) pela Prefeitura de São Paulo em entrevista coletiva.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) visa realizar nove etapas (fases 0 até 8) do mapeamento sorológico na cidade. A pesquisa busca a soroprevalência, isto é, a presença de anticorpos específicos para o Sars-CoV-2 no sangue das pessoas, indicativo de que já houve contágio no passado.

Nesta nova etapa, que finalizou no dia 20 de julho, a SMS buscou em uma base de cerca de 5,6 milhões de domicílios pessoas aptas a serem testadas, e coletou mais de 2.300 amostras. A fase anterior analisou cerca de 2.800 amostras e obteve uma taxa de prevalência de 9,8%. A incidência atual da doença indica que cerca de 1,32 milhão de pessoas na capital tenha anticorpos para a doença.

Os dados chamam a atenção para o aumento da prevalência na população acima de 65 anos. Na fase 0, cerca de 4,2% dos já infectados tinham 65 anos ou mais. Essa taxa saltou para 5% na fase 1 e agora, na fase 2, para 13,9%.

Segundo o secretário municipal de saúde Edson Aparecido, a alta taxa de infecção em idosos pode ser explicada pela contaminação da população mais velha por jovens que moram no mesmo domicílio e tiveram que sair para trabalhar ou procurar emprego durante a pandemia.

Aparecido anunciou que o número de internações na última segunda-feira (27) foi de 8.923 nos hospitais públicos e privados, representando 75 internações por 100 mil habitantes. O número de óbitos é de 9 por 100 mil habitantes. A taxa de ocupação nos leitos de UTI está em 54%.

De acordo com o secretário, esses dados demonstram que a capital está, pelos critérios apresentados pelo Plano SP na segunda-feira, acima do pretendido de 40 internações por 100 mil habitantes e 5 óbitos por 100 mil para conseguir mudar de fase.

O prefeito de São Paulo Bruno Covas (PSDB) anunciou que vai solicitar junto à SMS um plano de atenção especial para essa população mais idosa. “Esse é um dado perigoso [o aumento da incidência nos mais idosos], e precisamos reforçar nossa atenção com essa população que tem maior chance de vir a óbito ao contrair a Covid-19.”

A positividade também foi mais elevada nesta terceira etapa nos domicílios com cinco ou mais pessoas (11,7%) em comparação à fase 1 (10,3%).

Como já havia sido detectado nas fases anteriores, a incidência da doença é maior na população preta e parda (14,1%), naqueles cuja renda mensal é mais baixa e com baixa escolaridade (36,7%). Covas também mostrou preocupação ao reportar os dados.

SAO PAULO, SP, 27-7-2020 - O Governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (27) ao lado do prefeito de Sao Paulo Bruno Covas, novos critérios para o Plano São Paulo de retomada econômica e enfrentamento ao coronavírus.. Credito Governo do Estado de Sao Paulo - Governo do Estado de Sao Paulo

“É mais do que o dobro a incidência do vírus sobre quem tem somente ensino fundamental quando comparado a quem tem ensino superior. A parcela da população com menos instrução, assim como a parcela preta e parda, apresenta maior possibilidade de contágio”, disse Covas.

Nessa terceira etapa, cerca de 39,7% dos indivíduos já contaminados foram assintomáticos. Para Edson Aparecido, esse dado reforça o que já foi encontrado em estudos em todo o mundo indicando a alta taxa de pessoas que contraem a doença e não apresentam sintomas e pode indicar o crescimento da doença na cidade sem uma pressão sobre os leitos hospitalares.

“Podemos pensar que na cidade de São Paulo podemos atingir a imunidade de grupo mais rapidamente e sem a necessidade de uma nova pressão no sistema de saúde”, afirmou o secretário.

No entanto, a secretária-adjunta Edjane Maria Torreão Brito aconselhou que aguardar uma imunidade de grupo não é o caminho para contenção da doença na cidade, mas sim implantar ações como monitoramento e acompanhamento dos infectados, continuar o distanciamento social e as medidas de proteção e higiene.

A prefeitura afirmou que vai continuar o monitoramento anunciado na segunda etapa do inquérito de mais de 300 mil casos na capital.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.