Descrição de chapéu Coronavírus Textos liberados

Número de mortos pela Covid-19 no Brasil passa de 70 mil

Nas últimas 24 horas, o país registrou 1.270 novas mortes e 45.235 novos casos

São Paulo e Brasília

O Brasil ultrapassou nesta sexta (10) a marca de 70 mil mortos pela Covid-19. São 70.524 vítimas da doença e 1.804.338 casos confirmados.

Nas últimas 24 horas, o país registrou 1.270 novas mortes e 45.235 novos casos.

Os dados são fruto de colaboração inédita entre Folha, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo, G1 e UOL para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais. O balanço é fechado diariamente às 20h.

Além do Brasil, só os EUA passaram dessa marca. O país registrou até agora 133.940 mortes e tem 3,1 milhões de casos confirmados, segundo dados da Universidade Johns Hopkins, que monitora a pandemia.

O Brasil também é vice-líder no ranking de casos. O número, porém, segundo estudos, pode ser muitas vezes maior, dada a carência de testes e a consequente subnotificação.

O primeiro óbito no Brasil foi anunciado em 17 de março; dois meses e meio depois, em 2 de junho, 30 mil tinham perdido a vida. Esse número dobrou em menos de um mês.

Na semana em que o presidente Jair Bolsonaro revelou que contraiu o coronavírus, a transmissão do patógeno no Brasil voltou a acelerar e completou quase um trimestre sem controle, segundo cálculos do centro de análise de doenças infecciosas do Imperial College, um dos mais respeitados do mundo em acompanhamento de epidemias.

A taxa de contágio, que indica para quantas pessoas em média cada infectado transmite o coronavírus, subiu de 1,03 para 1,11. Isso significa que cada 100 pessoas contaminadas pelo coronavírus transmitem o patógeno para 111, em vez de para 103, como na semana anterior.

No entanto, sob pressão de empresários e de parte da população, estados e municípios têm promovido a reabertura de comércio, shoppings, salões de beleza e restaurantes, entre outros tipos de estabelecimentos, ainda que os números indiquem que os casos e mortes aumentaram nos locais que o fizeram.

Em São Paulo, estado com maior número de casos e mortes, o governador João Doria relaxou a quarentena. Agora, apenas 17% da população paulista está em regiões com restrição severa, aquelas onde podem abrir somente serviços fundamentais.

O estado registrou 324 mortes em 24 horas (foram 330 no dia anterior), e chegou aos 17.442 óbitos. Ao todo, são 359.110 casos confirmados no estado.

O Rio de Janeiro foi o segundo com maior número de mortes, 165 (contra 145 na quinta-feira). O total é de 11.280 óbitos.

Depois de registrar recorde de mortes por Covid-19 pelo segundo dia consecutivo, Minas Gerais teve 59 mortes. O estado, que vê a expansão da pandemia nas últimas semanas, soma 1.504 mortes até o momento.

Roraima não divulgou seus dados até o fechamento do balanço.

Segundo o Ministério da Saúde nesta sexta-feira (10), o Brasil registrou nas últimas 24 horas 45.048 novos casos de Covid-19 e 1.214 novas mortes. Dados da pasta mostram que o país atingiu 70.398 mortes e 1.800.827 casos pelo novo coronavírus desde o primeiro da pandemia no país.

Nova informação

A Folha vai mostrar a partir desta sexta (10) informação adicional ao número diário de mortes e de casos de Covid-19. Será apresentada também a média móvel, com base em sete dias, recurso estatístico que busca dar visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão.

A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete. No dia seguinte, é acrescentada a informação do período mais recente e excluído o dia mais antigo para o novo cálculo da média.

Na última segunda-feira (6), por exemplo, houve 656 novas mortes registradas pela doença. O volume registrado às segundas tende a ser baixo, porque laboratórios têm atividade menor aos fins de semana. Já a média móvel para a segunda-feira foi de 1.024, pois considera também os dados dos seis dias anteriores.

Já na terça-feira (7), o número absoluto de mortes saltou para 1.312, pois abarcou também óbitos do fim de semana que ainda não haviam sido computados. Já a média móvel para a terça-feira foi de 1.030, uma informação mais estável do que os números absolutos.

De acordo com os dados coletados até as 20h desta sexta (10), a média de mortes nos últimos sete dias é de 1.039, e de casos, 37.285.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.