Descrição de chapéu Coronavírus

Estado de SP tem 2.351 novos casos e taxa de ocupação de UTI chega a 55,6%

Capital tem queda de 19% de óbitos nas duas últimas semanas; no estado, mortes diminuem 9%

São Paulo

A ocupação de leitos de UTI no estado de São Paulo chegou a 55,6% nesta segunda-feira (24). Na capital, essa taxa é ainda menor, de 53,7%. Os dados foram apresentados durante a primeira entrevista coletiva com a presença do governador João Doria (PSDB) após sua recuperação da Covid-19, no Palácio dos Bandeirantes.

A diminuição na taxa de ocupação de leitos foi acompanhada também por uma queda no número de óbitos na última semana em comparação à semana anterior, pela segunda vez consecutiva, afirmou o governador. Na semana passada, essa queda tinha sido de 1%.

“Na última semana, o estado teve uma queda de 9% de óbitos na comparação com a semana anterior. Foram 152 mortes a menos, passando de 1.764 no período de 9 a 15 de agosto para 1.612, na semana de 16 a 22 de agosto.”

Essa diminuição foi registrada em todas as regiões do estado no mesmo período, de acordo com Doria. Na cidade de São Paulo, o número de óbitos diminuiu em 19%, enquanto em toda a região da Grande São Paulo reduziu 12%.

O governador aproveitou para prestar solidariedade ao jornalista do O Globo que foi ameaçado pelo presidente Jair Bolsonaro no último domingo (23). Bolsonaro disse “eu vou encher a boca desse cara na porrada”.

Dora afirmou “não se lembrar ao longo de sua existência um presidente da República dizer isso frontalmente a um jornalista que gostaria de agredi-lo e esmurra-lo fisicamente.”

“É uma posição lamentável e triste para alguém que ocupa a presidência da República do Brasil”, completou.

Doria ainda fez menção à censura e aos limites de liberdade de expressão e disse não compactuar com essas atitudes.

“A constituição garante a liberdade de expressão, garante a democracia, garante a liberdade de imprensa. Presidente Jair Bolsonaro, como governador do estado de São Paulo, eleito pelo voto popular como o senhor foi, eu tenho a obrigação de lhe dizer, como filho de um deputado cassado pelo Golpe Militar de 64, vítima portanto da ditatura militar neste país, que nem o senhor, nem ninguém vai afrontar a democracia do Brasil, vai amedrontar ou emparedar jornalistas ou veículos de comunicação sérios do país, a democracia, presidente Bolsonaro, é mais forte que o senhor. Ela já resistiu em tempos recentes a outras ameaças, e resistirá ao senhor também com o seu ímpeto de flertar ao autoritarismo.”

O governador continuou dizendo que em São Paulo e em todo o país existem milhares de cidadãos comprometidos com a democracia e que cobrarão do presidente a sua postura de negar informações ao jornalista.

A atualização dos dados do coronavírus no estado aponta que foram confirmados 2.351 novos casos nas últimas 24 horas e 38 novos óbitos. Do total de novos casos, 62% (1.458) foi diagnosticado com RT-PCR, 36% (846) com teste rápido e 2% (47) com outros métodos diagnósticos.

Segundo o secretário estadual de saúde, Jean Gorinchteyn, a taxa de isolamento social na cidade de São Paulo no final de semana foi de 47%, enquanto em todo o estado foi de 43%.

O infectologista afirmou ainda que 86% dos municípios paulistas estão na fase amarela do Plano SP. Para avançar de fase, é preciso que o município esteja na fase amarela e com redução de número de óbitos e casos por 28 dias seguidos.

A média móvel de óbitos dos últimos sete dias apontou 230 óbitos, abaixo do indicado na semana anterior, de 252. Em relação aos novos casos, houve uma redução também de 3.145 para 1.568 nos últimos sete dias.

No município de São Paulo, a redução no número de novas internações foi significativa e é vista como uma boa notícia pelo comitê de contingenciamento do coronavírus, que aponta para uma queda acentuada e saída do platô no município dos pedidos de internação hospitalar de 548 para 498 nos últimos sete dias.

Para João Gabbardo, coordenador do centro de contingência da Covid-19 em SP, a confirmação da queda nos números de casos e óbitos no estado de SP é um indicativo sólido para o sucesso do Plano SP e de uma tendência de queda bastante consistente nas próximas semanas.

“Essa redução mesmo com o aumento do número de testes indica que houve uma redução de 32% no número de casos [da 34ª semana epidemiológica para 33ª], e a nossa média móvel está próxima do patamar encontrado no mês de junho.”

Segundo o secretário de desenvolvimento regional, Marco Vinholi, a queda na ocupação hospitalar em todo o estado levou ao melhor índice até agora apontado e pode significar uma redução tanto do número de novos casos, mas também com um aumento crescente da oferta de leitos em SP.

As regiões que ainda estão em fase laranja são São José do Rio Preto, São João da Boa Vista, Marília, Presidente Prudente, Franca e Registro.

“Em São José do Rio Preto, houve uma queda da taxa de ocupação acima de 75% para 74,5%. Franca, que também apresenta taxa acima de 75% (75,8%), terá a implementação de leitos na Santa Casa para melhorar essa taxa”, completou o secretário.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.