Descrição de chapéu Coronavírus enem

Prefeitura de SP prevê teste de Covid para 777 mil, entre alunos e profissionais da educação

Plano anunciado pelo prefeito Bruno Covas visa testar alunos acima de 4 anos

São Paulo

O prefeito de São Paulo Bruno Covas (PSDB) anunciou na última sexta-feira (25) que pretende realizar um censo sorológico em todos os professores e alunos da rede municipal de educação acima de 4 anos antes do retorno às aulas presenciais.

O anúncio foi feito durante entrevista no Palácio dos Bandeirantes. Diferentemente dos inquéritos sorológicos que a prefeitura vem realizando para identificar quem já foi infectado com o novo coronavírus, o censo na rede municipal de educação irá testar todos os 675 mil alunos acima de 4 anos e os 102 mil profissionais da educação.

A primeira etapa do censo deve ser iniciada no próximo dia 1˚ de outubro, com 181 mil participantes. Ao todo, serão testadas 777 mil pessoas.

Nesta primeira etapa, serão realizados exames sorológicos em 93 mil professores de até 60 anos de idade, em 45 mil alunos do nono ano do ensino fundamental, em 41 mil alunos do terceiro ano do ensino fundamental e em todos os 2.400 alunos do ensino médio municipal.

O exame sorológico busca identificar anticorpos específicos contra o Sars-CoV-2 no organismo.

O prefeito de São Paulo Bruno Covas (PSDB) em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes na sexta-feira (25). - Governo do Estado de São Paulo

Segundo Covas, a Secretaria Municipal de Educação será responsável por apresentar o cronograma do censo, enquanto a Secretaria Municipal de Saúde irá ofertar os testes e publicar os editais para compra de insumos e logística necessários.

Os testes serão feitos dentro das escolas pelas equipes da secretaria de saúde. De acordo com o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, a prefeitura já tem os recursos para 200 mil testes.

Em um segundo momento, o prefeito pretende testar os alunos de 0 a 3 anos da rede municipal, mas devido ao comportamento diferente dessa faixa etária, essa etapa será posterior à primeira.

“A ideia do censo é definir e estabelecer dados que possam orientar a prefeitura [no retorno às aulas], saber quem está imune [ao coronavírus] e organizar o retorno às aulas da forma mais segura possível para os alunos, professores, diretores, pais e familiares dos alunos”, disse o prefeito.

No último dia 17, o prefeito anunciou a autorização a partir do dia 7 de outubro das atividades extracurriculares em escolas públicas e privadas da capital. Ainda não há previsão de retomada das aulas regulares.

A retomada das atividades extracurriculares é opcional e deve respeitar o limite, estabelecido pelo governo estadual, de atender apenas 35% dos alunos nas unidades particulares e 20% nas municipais.

A retomada às aulas, quando ocorrer, será facultativa, informou o prefeito. “Em São Paulo, teremos uma faculdade dos pais de enviarem ou não seus filhos para as escolas.”

Até o momento, a prefeitura realizou três inquéritos sorológicos com os alunos de São Paulo. As primeira e segunda etapas foram realizadas apenas com alunos da rede municipal, na terceira e última etapa, foram incluídos alunos das redes privada e estadual de ensino.

Os resultados do inquérito apontam que 16,5% das crianças de 4 a 14 anos em São Paulo possuem anticorpos para o Sars-CoV-2, sendo a maior prevalência na rede pública.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.