Descrição de chapéu Coronavírus

Governo de SP vai testar 19 mil alunos e professores da rede estadual

Inquérito em escolas proposto por Doria é similar a plano feito na capital com mais de 700 mil

São Paulo

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira que o estado vai testar 19 mil alunos e profissionais de educação para o coronavírus a partir desta quinta-feira (15).

O inquérito sorológico será feito pela Secretaria de Estadual de Saúde em conjunto com a Secretaria de Educação.

Os testes serão feitos em 20 municípios do estado, com os exames realizados em cem escolas estaduais. Serão escolhidas cinco escolas em cada cidade.

Do total de exames, 10 mil serão para alunos e os demais 9.000 para professores e servidores da educação no estado.

O governador João Dória durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes em São Paulo (SP), nesta quarta-feira (14), para atualização da situação da Covid-19 no estado.
O governador João Dória durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes em São Paulo (SP), nesta quarta-feira (14), para atualização da situação da Covid-19 no estado. - 14.out.20 - Flavio Corvello/Futura Press/Folhapress

O plano é semelhante ao divulgado no final de setembro pelo prefeito de São Paulo Bruno Covas (PSDB), cujo censo sorológico será feito em 777 mil alunos e profissionais de educação.

Segundo o secretário de saúde Jean Gorinchteyn, a amostra sorológica será mais uma ferramenta para garantir um ambiente escolar seguro tanto para alunos quanto para professores. “Essa medida, aliada à preparação das escolas com todas as regras e ritos de segurança sanitária, irá permitir um ambiente escolar absolutamente seguro”, disse.

Os dados do coronavírus no estado mostram que houve 6.031 novos casos nas últimas 24 horas e 227 novos óbitos. Os números são, respectivamente, quase 10 vezes e 6,5 vezes maiores do que o número de novos casos e óbitos registrados nas 24 horas anteriores.

Mesmo assim, a pasta da saúde continua a afirmar que há uma queda tanto no número de óbitos quanto no de novos casos nas últimas quatro semanas.

Para Gorinchteyn, os índices de saúde nos últimos 28 dias continuam com melhora, o que possibilitou que cerca de 76% de toda a população do estado pudesse passar à fase verde na última sexta-feira (9).

A ocupação de leitos de UTI no estado de São Paulo mantém-se no patamar de 42,2%, segundo o secretário. Na capital, essa taxa é ainda menor, de 41,6%.

O estado de SP tem até esta quarta-feira (14) 1.045.060 casos acumulados de Covid-19 e 37.541 óbitos.

O governador João Doria (PSDB) ainda aproveitou de sua fala na entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes para mandar um recado aos parlamentares que votaram a favor do PL 529, que foi aprovado na madrugada desta quarta-feira (14) na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). “Quero cumprimentar os 48 deputados da Alesp que votaram favoravelmente ao projeto de modernização administrativa e votaram pelos mais pobres e desvalidos.”

Doria disse que o a aprovação trará uma economia de R$ 7 bilhões ao estado com a realocação da verba e espera que outros estados sigam o exemplo paulista e façam sua reforma administrativa. Ele defendeu ainda o governo liberal na economia e a privatização de empresas estatais.

“Vamos ter um estado mais enxuto, mais ágil e mais eficiente. Um projeto de combate aos desperdícios, duplicidade de funções e desequilíbrios. Volto a mencionar que nosso governo é liberal, pró-mercado e entende que um estado menor é mais eficiente e produtivo, principalmente no atendimento aos mais pobres, aos desvalidos e aos mais vulneráveis.”

Questionado sobre as empresas que foram retiradas do pacote (Furp, Imesc, Itesp e Fundação Oncocentro), o governador apontou que essa retirada fez com que a economia prevista, que antes era de R$ 8,4 bilhões, caísse para R$ 7 bilhões, e esperar um esforço das empresas para melhorar sua produtividade, apresentar melhora na eficiência e estarem “dentro do padrão de empresas privadas”.

Outro assunto abordado pelo chefe do executivo foi a soltura de André do Rap no sábado (10) após uma autorização do ministro do STF Marcos Aurélio Melo. André do Rap está foragido desde então.

Doria disse estar indignado como cidadão e como governador e afirmou que espera que o Congresso apresente medidas para alterar o projeto de lei. “Como cidadão estou indignado quando um criminoso, condenado em duas instâncias a 25 anos de prisão, é liberado por uma decisão monocrática de um magistrado. A imagem do André do Rap saindo pela porta da frente de um presídio de segurança máxima e entrando em um BMW é um deboche: para a população, para os policiais militares que após anos de tentativas conseguiram capturá-lo, e para todos aqueles que acreditam que a justiça deve ser feita no país.”

O governador completou sua fala com a frase “lugar de bandido é na cadeia” e disse esperar a revogação da decisão de Marco Aurélio pelos demais ministros do supremo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.