Descrição de chapéu Coronavírus

Agência dá ok a vacina contra Covid da Pfizer e abre caminho para aval da Comissão Europeia

União Europeia pretende inicia campanha ainda neste ano

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Amsterdã | Reuters

A agência reguladora de medicamentos da Europa aprovou nesta segunda (21) o uso da vacina contra Covid-19 desenvolvida conjuntamente pela empresa norte-americana Pfizer e por sua parceira alemã BioNTech, colocando o continente a caminho de iniciar inoculações dentro de uma semana.

Países da União Europeia como França, Alemanha, Áustria e Itália disseram que planejam começar suas vacinações em 27 de dezembro –a Europa está tentando seguir o caminho de Estados Unidos e Reino Unido, onde as inoculações começaram neste mês.

No sábado, a agência reguladora de medicamentos da Suíça autorizou o uso da vacina para pessoas com mais de 16 anos.

Depois de receber o aval da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), a etapa final é a aprovação da Comissão Europeia, que é esperada nos próximos dias. Normalmente, a Comissão segue o conselho da EMA.

Os preparativos para a distribuição da vacina ocorrem no momento em que a identificação de uma nova variante altamente infecciosa do coronavírus no Reino Unido provocou caos na região, levando países a suspenderem os laços de transporte com o território britânico e transtornando o comércio na iminência do feriado de Natal.

A pandemia, que já matou cerca de 470 mil europeus e cerca de 1,7 milhão de pessoas no mundo, está ganhando ímpeto nos meses frios e arrasando economias. Muitos governos impuseram restrições mais rigorosas às famílias para tentar conter uma segunda onda de infecções e evitar sobrecarregar o sistema de saúde.

Estudantes de medicina, médicos aposentados, farmacêuticos e militares estão sendo recrutados para uma campanha europeia de vacinação de escala inédita.

Devido a uma abordagem de aceleração gradativa, profissionais de saúde e moradores de casas de repouso serão priorizados e a maioria dos esquemas nacionais não chegará ao público em geral até o final do primeiro trimestre de 2021, na melhor das hipóteses.

O objetivo dos 27 países da UE é atingir uma cobertura de 70% de seus 450 milhões de habitantes.

No Brasil, as vacinas candidatas precisam ainda receceber o aval da Anvisa, agência reguladora, após a conclusão de seus ensaios clínicos. O processo está mais atrasado do que em outros países, e a expectativa é que a imunização no país comece em fevereiro ou março para grupos prioritários.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.