Descrição de chapéu Coronavírus Textos liberados

Sem dados de SP, Brasil tem quase mil óbitos e 2º maior número de casos de Covid-19

País registrou 968 mortes pela doença e 68.437 infecções; total de infecções já ultrapassa os 7 milhões

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Mesmo sem os dados do estado de São Paulo —que costuma ter os maiores números de mortes e casos—, o Brasil registrou 968 óbitos pela Covid-19 e 68.437 casos da doença, nesta quarta-feira (16). Com isso, o país chegou a 183.822 mortes e a 7.042.695 de infecções pelo novo coronavírus desde o início da pandemia.

São Paulo informou que não conseguiu fazer o processamento de dados da Covid-19 "devido a novas falhas no sistema do Ministério da Saúde, impactando a atualização dos casos e óbitos".

No estado, divulgou o governo, a taxa de ocupação de leitos de UTI está em 61% —e em 66% na Grande SP.

O Ministério da Saúde, no entanto, informou que não há nenhum problema técnico que impeça o registro de novas notificações.

No início de novembro, cinco estados pararam de atualizar o número de óbitos e de casos após ataque hacker derrubar rede da pasta do governo federal.

Em nota, o ministério disse que estava revisando todas as camadas de segurança dos sistemas de informação do SUS (Sistema Único de Saúde).

Os dados do país são fruto de colaboração inédita entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Além dos dados diários, a Folha também mostra a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 684, aumento de 28% em relação a 14 dias atrás. O país vem em uma tendência de alta de mortes, acima de 600 óbitos todos os dias, desde meados de novembro, com um breve intervalo de estabilidade. .

Todas as regiões apresentam aumento da média móvel de mortes em relação a 14 dias atrás. Somente o Norte tem situação estável (com 6% de aumento).

Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Sergipe estão em alta da média móvel de mortes, também em relação a 14 dias atrás.

Ceará, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins estão em estabilidade.

Já o balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (16) registrou 70.574 casos de contaminação pelo novo coronavírus no Brasil e 936 mortes em decorrência da doença nas últimas 24 horas.

Desde o início da pandemia, foram 183.735 óbitos acumulados e 7.040.608 casos confirmados no país.

A pasta informou que, por problemas técnicos, São Paulo não atualizou os dados. Até terça-feira (15), o estado tinha 1.341.428 casos e 44.282 óbitos pelo novo coronavírus.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.​​​​​​​​​​​​​

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.