Descrição de chapéu Coronavírus

Estados criam força-tarefa para iniciar vacinação

Entre as medidas para dar celeridade e segurança ao processo, haverá emprego de aeronaves, barcos e policiais

Brasília

Após o Ministério da Saúde começar a entregar a vacina contra a Covid-19 na manhã desta segunda-feira (18), os estados já estão com a logística preparada para que o imunizante seja repassado com agilidade e em segurança aos municípios.

Segundo representantes dos governos e de municípios ouvidos pela Folha, entre as estratégias estão o uso de aviões e de barcos e o policiamento no trajeto que a vacina percorrerá para chegar ao destino final.

Diversos estados iniciaram a aplicação nesta segunda-feira (18). Em alguns locais a vacina deve demorar até cinco dias para chegar a todos os municípios.

Apenas São Paulo iniciou a vacinação no domingo (17), o que ocorreu minutos depois de a Anvisa liberar o uso emergencial das vacinas Coronavac e de Oxford.

Até 19h30 desta segunda, o Ministério da Saúde havia entregado a vacina para dez estados. A programação é que o restante receba o imunizante neste mesmo dia. Somente o Acre e o Amapá receberão as doses durante a madrugada desta terça-feira (19).

A pasta publicou nesta segunda uma portaria que obriga serviços públicos e privados a registrarem, nos sistemas de informação da pasta, dados sobre a aplicação de vacinas contra a Covid. Entre os dados que devem ser informados estão vacinas recebidas e aplicadas, tipo de cada uma delas e data de aplicação das doses.

O presidente do Consórcio Nordeste, coordenador da temática estratégica da vacina contra Covid-19 do Fórum dos Governadores e governador do Piauí, Wellington Dias (PT-PI), disse que entre as estratégias que serão adotadas por todos os governos está o policiamento para entregar as vacinas aos centros regionais de saúde. São desses locais que as vacinas são distribuídas aos municípios.

“A vacina virou um bem desejado, vamos tomar mais cuidado. Já tivemos problemas com respiradores e não queremos que isso se repita.”

Militares desembarcam lote da vacina Coronavac na Base Aérea de Brasília, proveniente de São Paulo - Pedro Ladeira/Folhapress

Hisham Hamida, diretor do Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde) e secretário municipal de Saúde de Goinésia (GO), também afirmou que os estados e municípios terão um cuidado maior com a logística do imunizante.

“A forma de distribuição do imunizante já é organizada e garantida pelo PNI [Programa Nacional de Imunizações] e ocorre com todas as vacinas, como a H1N1 e a influenza. O que vamos ter é mais cuidado na logística para garantir a segurança”, disse.

No Mato Grosso do Sul, por exemplo, a distribuição teve a participação da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública).

Uma ação estratégica foi montada para que as doses da vacina cheguem de forma simultânea e segura, dentro de até dois dias, aos 79 municípios após serem recebidas da Saúde. Serão utilizados caminhões, viaturas, aviões e barcos para a distribuição.

“Contamos com nove núcleos regionais de saúde que recebem, armazenam e distribuem os imunobiológicos para os respectivos municípios, estes possuem câmaras refrigeradas adequadas para esse acondicionamento”, disse em nota a secretaria estadual de Saúde.

Ministério da Saúde inicia distribuição de lotes da Coronavac entre os estados - Zanone Fraissat/Folhapress

No Pará, a logística também está pronta para a entrega das vacinas aos centros regionais de saúde. Haverá apoio dos grupamentos Aéreo e Fluvial de Segurança Pública.

“A depender do horário de chegada das vacinas ao estado, levará até 2 dias para a distribuição para os centros regionais de saúde”, disse em nota a secretaria estadual de Saúde.

A Secretaria de Estado de Saúde do Maranhão informou que haverá o suporte de dois aviões e três helicópteros. São estimados até três dias para a distribuição às 217 cidades maranhenses.

“O transporte aéreo garantirá a distribuição da vacina nesse período. A vacina sairá da central estadual de armazenamento de imunobiológicos em São Luís para as 18 centrais regionais de rede de frio. A partir dessas regionais, a secretaria de saúde realizará o transporte aéreo e terrestre até as centrais municipais de rede de frio”.

Em Tocantins a programação é que as 139 cidades recebam o imunizante em até cinco dias. Atualmente, o estado possui 314 salas de vacinação.

“Para a logística de operacionalização da vacinação contra a Covid-19 a distribuição da vacina será de forma terrestre, através de caminhão refrigerado. Dois pontos de distribuição, organizados por regiões de saúde serão utilizados em todo o estado, um em Palmas e outro em Araguaína”, disse em nota a secretaria estadual de Saúde.

Os estados também se organizaram para o armazenamento e aplicação dessas vacinas. Apesar de as agulhas e seringas para a vacina contra a Covid-19 não serem de responsabilidade dos estados, secretarias estaduais dizem ter ao menos 116 milhões de unidades em estoque.

No Paraná, por exemplo, a secretaria de Saúde adquiriu 21 câmaras frias para o armazenamento da vacina. Outras 180 estão em processo de aquisição.

“Além destes equipamentos, será realizada a contratação de 31 câmaras frias para armazenamento em parceria com o governo federal”, disse em nota.

O Amapá, além de ter seringas e estar em processo de aquisição de câmaras frias, planejou que as vacinas que chegarem aos municípios serão aplicadas em salas de vacinação e por drive-trhu nas escolas.

“A princípio, está sendo planejado o encaminhamento das vacinas com avião para o município de Oiapoque, no extremo norte do estado, e com carros para as demais cidades”, disse a secretaria estadual de Saúde.

A vacina contra a Covid teve a aprovação da Anvisa para uso emergencial no domingo (18). Minutos depois o governador João Doria (PSDB-SP) vacinou a primeira mulher no país.

Por conta do ocorrido, o governador foi acusado pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, de fazer marketing e de quebrar acordo com o governo federal e com os demais estados ao iniciar a vacinação em São Paulo antes do plano federal.

No mesmo dia, os governadores foram convidados por Pazuello a viajarem para São Paulo para participarem de ato de entrega das vacinas.

O cronograma federal previa o início da vacinação para quarta, mas Pazuello foi pressionado pelos governadores para o começo imediato, com a entrega das doses nesta segunda com aviões da FAB (Força Aérea Brasileira) e a vacinação a partir das 17h.

Conforme mostrou o Painel, porém, o ministério mudou horários dos voos e diversos estados só receberão os pacotes de noite, atrasando o início da imunização. Em alguns casos, autoridades estaduais já estavam aguardando nos aeroportos, quando foram surpreendidas pelas mudanças. Ao menos seis locais que receberiam antes das 16h agora só vão receber na parte da noite.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.