Descrição de chapéu Coronavírus

Vacina contra Covid-19 no Rio será aplicada em grupos prioritários até o dia 23 de janeiro

Primeira fase prevê a aplicação de 110 mil doses da Coronavac no município do Rio

Rio de Janeiro

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), e o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, apresentaram nesta segunda-feira (18), o plano para a campanha de vacinação contra Covid-19 no município do Rio.

Segundo a Prefeitura do Rio, serão 231 mil doses na primeira fase da campanha. Dessas, 110 mil devem chegar na tarde desta segunda-feira. O restante deve ficar sob a guarda da Secretaria Estadual de Saúde para ser aplicado quando for o momento da segunda dose.

Ao todo, o estado do Rio de Janeiro deve receber 487 mil doses nesta primeira fase da vacinação.

A imunização no Rio começou nesta segunda-feira (18) em ato simbólico. Com o atraso na entrega das vacinas pelo governo federal, o governo do Rio decidiu buscar por conta própria algumas doses do imunizante em São Paulo para manter um evento que havia previsto no Corcovado na tarde de segunda.

Dulcineia da Silva Lopes e Terezinha da Conceição são vacinadas no Rio - Ricardo Moraes/Reuters

De acordo com o cronograma, os primeiros vacinados serão trabalhadores de saúde que atendem diretamente pacientes com Covid-19, idosos (a partir de 60 anos) moradores de instituições de longa permanência, pessoas com deficiência a partir de 18 anos moradoras de abrigos ou residências inclusivas, população vivendo em terras indígenas, além dos profissionais envolvidos na campanha de vacinação e instituições de longa permanência de idosos.

A previsão da prefeitura é de que este primeiro lote acabe dentro de quatro dias, de 19 a 23 de janeiro. Paes agradeceu o governador de São Paulo, João Doria, e o Instituto Butantan pelos esforços na produção da vacina. “Foi uma vitória da ciência", disse o prefeito.

Ainda segundo o prefeito, as etapas de vacinação vão ocorrer conforme as vacinas chegarem. “Nesta etapa ninguém deve procurar o posto de saúde. Idosos que estão no abrigo serão vacinados no abrigo e profissionais de saúde vão ser vacinados onde trabalham", explicou Paes.

O prefeito também pediu a colaboração dos cariocas em manter as medidas de distanciamento social.

“Queria deixar um recado para todos os cariocas: o início da vacinação não é o fim da pandemia e sim uma luz ao fim do túnel. Vamos continuar acompanhando, as restrições estão mantidas e intensificaremos a fiscalização”, reforçou Paes.

Ainda não há data definida para o segundo momento da vacinação na cidade do Rio de Janeiro. Nessa segunda fase da campanha, serão vacinados os idosos entre 60 e 74 anos. Esse grupo tem 895.632 pessoas, que receberão 1.970.390 doses da vacina.

Logo após, na terceira fase, devem receber as vacinas as pessoas com comorbidades, sendo 316.109 pessoas. A quarta fase de vacinação deverá atender os trabalhadores da educação; profissionais das forças de segurança e salvamento; população em situação de rua; funcionários do sistema prisional; população privada de liberdade; pessoas com deficiência; e trabalhadores de serviços essenciais.

De acordo com a prefeitura, serão 236 salas de vacina, que vão funcionar em Clínicas da Família, centros municipais de saúde e policlínicas. Estarão envolvidos na campanha de vacinação 10,5 mil profissionais.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.