Descrição de chapéu Coronavírus Natal

Sem leitos de UTI, pacientes esperam vaga dentro de ambulâncias em Natal

Sistema de saúde da capital do RN entrou em colapso; pacientes estão sendo transferidos para o interior

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Recife

O avanço da Covid-19 no Nordeste tem gerado colapso no sistema de saúde. Faltam leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em várias cidades para atender pacientes graves.

Sem vagas nos hospitais públicos e privados, doentes infectados pelo novo coronavírus são obrigados a esperar por algumas horas dentro de ambulâncias.

Uma paciente de 93 anos aguardou seis horas na manhã desta quinta-feira (25) antes de ser transferida para um hospital particular de Natal.

O Rio Grande do Norte atingiu o maior número de pessoas internadas desde o início da pandemia. A governadora Fátima Bezerra (PT) informou que os pacientes estão sendo levados da capital e da região metropolitana para os municípios de Mossoró, Caicó e Pau dos Ferros. O transporte é feito de avião.

“Indago a vocês, vamos deixar o colapso chegar a todo o estado?”, questionou a governadora durante reunião com prefeitos e secretários de saúde municipais do Rio Grande do Norte.

0
Funcionários do Samu fazem trabalho de desinfetar ambulância após transportar caso suspeito de Coronavírus para o Hospital Universitário, na zona oeste de São Paulo - Lalo de Almeida/Folhapress


Em junho do ano passado, 363 pessoas estavam internadas em leitos de UTI nas unidades de saúde do estado. Agora, são 416 pacientes.

As quatro Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) de Natal estão com 100% de ocupação. Os pacientes estão estabilizados com oxigênio aguardando uma vaga de UTI.

Nas redes sociais, em tom de alarme, a governadora informou que teve uma audiência nesta quinta com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

“Como vocês sabem, a situação do estado está crítica e o apoio do Governo Federal no enfrentamento à pandemia se faz urgente”, escreveu. Ela recebeu a garantia de que o Ministério da Saúde vai enviar ventiladores mecânicos e monitores para que novos leitos de UTI sejam ativados.

Assim como o Rio Grande do Norte, a situação da Bahia também é bastante crítica. Há grande risco de o sistema entrar em colapso total a qualquer momento. Já há registro de filas de pacientes para acessar uma vaga de UTI.

Diante do quadro crítico, o governo da Bahia e a prefeitura de Salvador anunciaram na manhã desta quinta-feira (25) a restrição total de atividades não essenciais.

As medidas, que passam a vigorar a partir das 17h desta sexta-feira (26) e vão até 5h do dia 1º de março, englobam a proibição de bebidas alcoólicas em bares, restaurantes, supermercados e lojas de conveniência.

Nesta sexta-feira, um decreto vai suspender por dez dias as cirurgias eletivas nas redes públicas e privadas.

“Atividades sociais de qualquer natureza, sejam elas religiosas, esportivas, políticas e culturais, também estão proibidas em toda a Bahia durante este período. Faço meu apelo que baianos e baianas compreendam a importância das medidas e respeitem o decreto estadual”, escreveu o governador da Bahia, Rui Costa (PT), nas redes sociais.

Há 195 pacientes acometidos por síndrome respiratória aguda grave esperando vaga em leitos de UTI.

Pernambuco tem 89% dos 998 leitos de UTI/Covid-19 ocupados.

As cirurgias eletivas nas unidade de saúde, públicas e privadas, nos 63 municípios das Geres (Gerências Regionais de Saúde), com sedes em Limoeiro, Caruaru e Ouricuri, respectivamente, estão suspensas da próxima segunda-feira (1º/03) até o dia 12 de março.

As três regiões iniciam, a partir de amanhã, um período de restrição de todas as atividades econômicas e sociais, entre 20h e 5h, nos dias de semana, e das 17h às 5h aos sábados e domingos.

O secretário estadual de Saúde, André Longo, informou que o Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), vai abrir chamamento público para contratação de leitos de UTI e enfermaria dedicados à Covid-19 na rede privada.

A expectativa da SES-PE é contratar, ao todo, 300 leitos de enfermaria, 150 leitos de UTI para adultos, além de 40 leitos de terapia intensiva pediátricos e neonatais.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.