Descrição de chapéu Coronavírus

Com hospitais superlotados, Santa Catarina transfere pacientes para o Espírito Santo

Há mais de 200 pessoas na fila de espera por um leito de UTI no estado

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Curitiba

O estado de Santa Catarina vai transferir até 16 pacientes com Covid-19 para o Espírito Santo. O transporte estava previsto para esta terça-feira (2) de Chapecó, no oeste do estado, para uma unidade de saúde da região metropolitana de Vitória.

É a primeira vez que o governo catarinense transfere pacientes para outros estados desde o início da pandemia. Em janeiro deste ano, Santa Catarina chegou a acolher moradores de Manaus (AM) em tratamento contra a Covid-19.

“Nossa prioridade neste momento é salvar vidas. Em outros momentos, acolhemos pacientes de diferentes regiões do país e, agora, contamos com a solidariedade dos capixabas”, afirmou em comunicado o secretário de Saúde catarinense, André Motta Ribeiro.

A transferência foi confirmada pelo governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), em entrevista coletiva a jornalistas na segunda-feira (1º). “Temos 45 leitos à disposição de outros estados. Estamos vendo o crescimento da pandemia no Brasil e é fundamental trabalharmos juntos”, disse. Atualmente, o estado está com 76% das UTIs ocupadas.

O sistema de saúde de Santa Catarina entrou em colapso após uma explosão de internações pela Covid-19 nas últimas semanas. Há mais de 200 pacientes na fia de espera por um leito em UTI.

O painel de monitoramento de leitos do estado aponta que, nesta terça-feira, a taxa de ocupação de UTIs gira em torno de 94%. Em todo o território, há 87 vagas disponíveis, e já há registro de lotação em cinco das sete macrorregiões do estado.

Rua cheia em Florianópolis durante a pandemia de Covid, em maio de 2020 - AFP

Os pacientes que serão transferidos estão internados no Hospital Regional do Oeste (HRO), de Chapecó, referência na região. Desde janeiro, a cidade sofre com a falta de leitos de UTI. Em fevereiro, a situação se agravou, e doentes passaram a ser levados para outros municípios.

O transporte será feito por aviões do Batalhão de Operações de Aéreas e por uma empresa terceirizada contratada. Ainda não foi definido um horário para a transferência, segundo Ribeiro, que ocorrerá após análise das condições clínicas dos pacientes.

Nesta terça-feira, o governo anunciou também a abertura de 20 novos leitos de UTI no hospital de Chapecó, além dos 26 já pactuados na semana anterior. Foram confirmados ainda novos leitos clínicos para a unidade, e o total chegará a 50.

Também nesta terça, o governador Carlos Moisés (PSL) anunciou que publicará um edital de cotação de diárias de leitos de UTI na rede privada de hospitais.

“Há uma ampliação significativa dos leitos da rede pública, mas neste momento precisamos de toda a estrutura disponível. A doença se espalhou de forma muito veloz nas últimas semanas e necessitamos dos leitos privados para fazer esse enfrentamento”, disse.

Para frear as contaminações, o governador decretou lockdown aos finais de semana, medida que vale inicialmente até a próxima segunda-feira (8).

Com o agravamento da pandemia, a transferência de pacientes com Covid-19 entre estados se tornou comum. Em janeiro, diante da superlotação de hospitais, Amazonas e Rondônia encaminharam moradores em tratamento para diversos locais, como Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

Em fevereiro, pacientes do interior de São Paulo também já tiveram que procurar tratamento na capital diante da falta de leitos.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.