Gestão Doria anuncia vacinação de pessoas de 68 anos a partir de 5 de abril em SP

Nesta semana, governo já havia anunciado imunização de professores e policiais

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O governo João Doria (PSDB) anunciou nesta sexta-feira (26) o início da vacinação de pessoas de 68 anos a partir de 5 de abril em São Paulo.

O anúncio foi feito em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes (zona oeste de SP). No evento, o governo também anunciou que foi prorrogada a fase emergencial do Plano São Paulo.

Regiane de Paula, coordenadora de imunização do estado, apresentou dados que mostram que a faixa etária de 68 anos inclui 340 mil pessoas, o público alvo dessa nova leva de imunização.

"Eu só queria reforçar que continuamos vacinando as população dentro do programa nacional de imunização e por isso abrimos agora 68 anos", disse.

O governo recebeu críticas de especialistas nesta semana, quando anunciou que policiais e professores serão vacinados, a partir de 5 e 12 de abril, respectivamente. Na visão da maioria dos médicos ouvidos pela Folha, idosos e adultos com comorbidades deveriam ser contempladas antes que categorias profissionais.

Atualmente, já foram vacinados quilombolas, profissionais da saúde e idosos a partir de 72 anos.

Segundo dados do governo apresentados até o momento, entre o grupo da terceira idade, há 3,9 milhões de pessoas já contempladas ou com vacina com cronograma estabelecido.

A Folha questionou o governo sobre qual a população de pessoas da terceira idade que ainda não está no cronograma, uma vez que o governo tem divulgado os contingentes de cada faixa etária contemplada.

O governo não informou os dados. Afirmou apenas que são baseados no programa de imunizações e também no IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Procurado, o IBGE respondeu com dados da PNAD Contínua, segundo a qual há 7,9 milhões de pessoas com mais de 60 anos no estado, de um total de 46 milhões.

PLASMA

Na área de tratamento médico, Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, anunciou que haverá uma rede de plasma convalescente, um tratamento que, por meio de transfusão, pretende gerar anticorpos em doentes de coronavírus.

O plasma seria doado por voluntários que tenham contraído o coronavírus.

"Plasma é a parte líquida do sangue. É nesse plasma que se concentram os anticorpos. O objetivo dessa terapia é transferir ao paciente de maneira passiva uma quantitativa de anticorpos para combater o vírus. Portanto, é um tratamento. Essa transfusão de plasma deve ser feita para pessoas que estão nos hospitais, nas fases iniciais do Covid e que tem chances de progredir", diz.

Covas comparou o tratamento com uma "vacina imediata". Por isso, foi montada uma rede de coleta de plasma no estado.

Covas afirma que o projeto-piloto está sendo feito em Santos e Araraquara. Depois, a ideia é estender para os demais municípios.

Segundo o governo, as regras para doar o plasma são as mesmas de se doar sangue: ter boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 quilos, evitar alimentação gordurosa antes da doação e apresentar documento original com foto. "É fundamental que o doador já tenha sido contaminado pela Covid-19 anteriormente, pelo menos 30 dias antes do ato da doação", diz o governo.

O diretor do Butantan diz que as informações sobre o tratamento estarão no site do Butantan, que no início da tarde desta sexta estava fora do ar devido ao excesso de visitantes atraídos pela notícia da vacina nacional desenvolvida pelo instituto.

Questionado sobre a estimativa do governo de uso da vacina que será produzida pelo Butatan, a Butanvac, já em julho, Dimas Covas afirmou que opiniões deveriam ser baseadas no conhecimento do estudo.

"O Butantan certamente está inovando no estudo clínico, que na hora que for aprovada pela Anvisa será divulgado amplamente. Agora a questão da autorização do uso é obrigação da Anvisa. Vamos ver como a Anvisa se comporta daqui um tempo quando ela tiver os dados na mão para emitir o seu parecer", disse Covas.

CRONOGRAMA DE VACINAÇÃO

  • 68 anos - a partir de 5 abril
  • 69, 70 e 71 anos - partir de sexta-feira (26)
  • Policiais e agentes penitenciários - a partir de 5 de abril
  • Professores do ensino básico (infantil, fundamental e médio) - a partir de 12 de abril

Categorias e faixas etárias já atendidas até agora

  • Trabalhador de saúde, indígenas e quilombolas - 17 de janeiro
  • Acima de 90 anos - 8 de fevereiro
  • Entre 85 e 89 anos - 12 de fevereiro
  • Entre 80 e 84 anos - 27 de fevereiro
  • Entre 77 e 79 anos - 3 de março
  • Entre 75 e 76 anos - 15 de março
  • Entre 72 e 74 anos - 19 de março
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.