Descrição de chapéu Coronavírus

Conselheiros de órgão americano apoiam vacinação de crianças de 12 a 15 anos com imunizante da Pfizer

Agência regulatória deu autorização para uso emergencial do imunizante em adolescentes na segunda (10) e alguns estados já aplicam a injeção nos mais jovens

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo | Reuters

Estados americanos estão prontos para começar a usar a vacina contra a Covid desenvolvida pela Pfizer e pela BioNTech em adolescentes mais jovens após conselheiros do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) darem apoio ao plano de vacinação nesta quarta-feira (12).

Na segunda-feira (10), A FDA, agência regulatória dos Estados Unidos, concedeu autorização de uso emergencial da vacina para crianças com mais de 12 anos de idade. Até então, somente adolescentes com mais de 16 anos podiam receber a injeção no país.

Adolescente recebe a vacina da Pfizer em Michigan, nos Estados Unidos
Adolescente recebe a vacina da Pfizer em Michigan, nos Estados Unidos - Matthew Hatcher/AFP

A autorização trouxe alívio aos pais que querem ver seus filhos novamente nas escolas e acampamentos de verão —no hemisfério norte, o verão começa em junho. A ação do CDC é importante, mas não obrigatória, para selar a aprovação regulatória federal.

Na terça (11), alguns estados, como Geórgia, Delaware e Arkansas, começaram a oferecer a vacina aos mais jovens.

O comitê orientador para práticas de imunização (ACIP), que faz recomendações ao CDC, decidiu apoiar o uso da vacina nos adolescentes após uma revisão dos dados do estudo feito com adolescentes com idades de 12 a 15 anos.

A vacina se mostrou capaz de produzir resposta de anticorpos robusta no grupo etário e teve 100% de eficácia no estudo. Nenhum caso sintomático de Covid-19 foi registrado entre os jovens completamente vacinados.

Dados do CDC apontam que entre março de 2020 e abril de 2021 aproximadamente 1,5 milhão de jovens na faixa etária dos 11 aos 17 anos desenvolveram a doença no país.

Crianças e adolescentes geralmente têm as formas mais leves da Covid-19 e raramente manifestam complicações relacionadas à doença. Ainda assim, existem riscos, e a vacinação dos mais jovens deve ampliar a retomada das aulas presenciais.

Pelo menos outras quatro vacinas contra a Covid-19 são testadas em jovens com menos de 16 anos de idade (Coronavac, Moderna, CanSino e Novavax).

A Pfizer realiza um ensaio clínico com a vacina em crianças de 2 a 11 anos de idade. Segundo a empresa, os dados devem estar disponíveis em setembro deste ano.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.