Descrição de chapéu Coronavírus

Ministério lança campanha sobre prevenção da Covid e anuncia infectologista em nova secretaria

Pasta terá como foco concentrar ações de controle da epidemia; em meio a críticas e pressão por CPI, ministros fazem defesa de ações do governo

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Brasília

Após 14 meses de pandemia e em meio a críticas de atrasos em adotar ações, o Ministério da Saúde lançou nesta quarta-feira (12) uma campanha sobre medidas de prevenção contra a Covid.

A pasta também anunciou a médica infectologista Luana Araújo como a nova titular de uma secretaria criada para enfrentamento da doença.

Segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a nova área deve concentrar as ações de controle da epidemia no país, como elaboração de protocolos e a campanha de vacinação.

Vemos mamãe, vovô e vovó Gotinha -- ou seja, personagens inspirados no original Zé Gotinha, um boneco branco com cabeça em forma de gota, em alusão às vacinas -- numa sala; todos usam máscara, e há dizeres que recomendam a vacinação contra a Covid-19: SE FOR SUA VEZ, VACINE JÁ E LEMBRE-SE DA 2ª DOSE
Cena de vídeo de campanha do Ministério da Saúde sobre prevenção da Covid-19, que traz Zé Gotinha e família - Reprodução

Formada em medicina pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Araújo tem residência em infectologia pela mesma instituição e é pós-graduada em epidemiologia pela Universidade John Hopkins.

Em discurso, ela prestou solidariedade a familiares de vítimas da Covid e disse que pretende adotar ações com base em evidências científicas. "Minha experiência hoje é trabalhar com preparo e resposta de sistemas de saúde ao redor do mundo em relação a pandemias, e isso foi o que me trouxe hoje para essa posição", afirmou.

Nos últimos dias, Queiroga, chegou a anunciar em eventos o nome da atual coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, Francieli Fontana, como a nova secretária da área.

Segundo membros da Saúde, no entanto, Fontana decidiu recentemente continuar à frente da coordenação, o que levou à busca por um novo nome para o cargo.

No evento, a pasta também lançou uma nova campanha de prevenção da Covid, com o mote "O cuidado é de cada um, o benefício é de todos". A ideia da pasta é veicular materiais sobre vacinação e cuidados recomendados contra a Covid, por meio do personagem Zé Gotinha e família.

Um banner que aponta as principais medidas de prevenção, como uso de máscara, distanciamento e necessidade de manter lugares ventilados, foi colocado no site do Ministério da Saúde.

"Zé Gotinha sempre foi o símbolo da campanha de vacinação no Brasil. Vamos vacinar a população brasileira e aderir às medidas não farmacológicas, como uso de máscara", disse o ministro no evento.

O lançamento da campanha ocorre em um momento em que o governo vem sendo questionado, dentro da CPI da Covid, pela falta de investimento nos últimos meses em medidas de comunicação para estímulo a ações de prevenção contra o coronavírus.

Desde que assumiu o cargo, Queiroga já vinha reforçando, em discursos, a defesa do uso de máscaras e de medidas de distanciamento.

O presidente Jair Bolsonaro , no entanto, continua a se contrapor com frequência a essas medidas. No domingo (9), por exemplo, ele voltou a sair sem máscara e a promover aglomerações.

Apesar desses impasses, Queiroga e outros ministros aproveitaram o evento para fazer acenos ao presidente em discursos defender ações do governo.

Segundo Queiroga, o convite a Araújo para ocupar a secretaria "atende uma recomendação do presidente Jair Bolsonaro de ocupar postos com técnicos qualificados".

Ele disse ainda que a escolha ocorre "porque mulheres são sinônimo de eficiência no enfrentamento da pandemia da Covid-19".

Em outra tentativa de rebater indiretamente as críticas ao governo, Queiroga disse ainda que o presidente "sempre teve compromisso com a saúde e economia" e que a Saúde sempre foi a "melhor referência para dados" sobre a pandemia e outras doenças.

Em 2020, no entanto, a retirada de parte dos dados da Covid de página da Saúde levou veículos de imprensa a criarem um consórcio para manter a divulgação dos números.

A defesa do presidente também foi repetida pelo ministro da Cidadania, João Roma, que afirmou que o governo busca "cooperação" e que o momento "não é de queda de braço partidária, ideológica ou eleitoral".

Além da campanha, o ministério anunciou ter feito mudanças em uma página com informações gerais sobre a vacinação e a Covid. O espaço, no entanto, embora aponte medidas de prevenção, traz foco maior em dados de vacinas já distribuídas e aplicadas.

Também segue pontos defendidos pelo governo, como maior enfoque em dados do total de “recuperados” em comparação ao número de casos e mortes pela Covid.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.